Sustentabilidade

Festivais de verão: e se a energia solar ajudar a dar música?

Iberdrola junta-se ao festival Mad Cool, em Madrid, para ajudar a diminuir pegada ecológica e instala painéis solares no recinto
Festival Mad Cool com energia solar
Festival Mad Cool com energia solar

No verão, os festivais de música acontecem um pouco por todo o mundo. Em Portugal, o Rock in Rio, o Nos Alive, o Primavera Sound, o Super Bock Super Rock, o Meo Sudoeste, entre tantos outros, ajudam-te a libertar energia, mas também consomem muita energia. É difícil não pensar no impacto que estes megaeventos acabam por ter no planeta.

Para tentar diminuir a pegada ambiental, a Iberdrola juntou-se ao Mad Cool, em Madrid, para dar energia solar a um dos sete palcos do festival de música.

O festival madrileno que ocorre entre 6 e 10 de julho vai ter painéis fotovoltaicos em forma de girassóis que vão captar a energia do sol para alimentar com eletricidade limpa e renovável o palco da Iberdrola, The Loop Stage.

Esta instalação solar é uma criação da empresa Smartflower e tem a particularidade de rodar para acompanhar o movimento do sol, sendo assim, 40% mais eficiente, de acordo com a empresa.

Também numa tentativa de dar mais um passo em direção a um futuro musical mais sustentável, o Mad Cool e a Iberdrola estão a recolher informação para medir a pegada carbónica do festival.

Ao longo do recinto, as mais de 60 mil pessoas esperadas em cada dia do evento poderão ler um QR Code que irá dar acesso a um questionário sobre mobilidade que calcula imediatamente o impacto da viagem até ao evento.

A informação será partilhada também com a organização do festival para que esta possa criar estratégias para o futuro para reduzir e compensar as emissões não só dos espetáculos, como também de cada pessoa que vai até ao Mad Cool.

(Fotos: Mad Cool e Iberdrola)

Continuar a ler
Home
2022 é o ano com a segunda maior área ardida na Europa
Descobre este veículo de transporte coletivo autónomo e a hidrogénio
Colete salva-vidas de economia circular evita afogamentos