Está a nascer a Floresta Away

dias a mudar o mundo

PORQUÊ A FLORESTA AWAY

A "Floresta Away" nasce da convicção de que a mudança precisa de começar em cada um de nós. Assim, por cada dia deste primeiro ano de vida, vamos plantar uma árvore. Serão 365 sobreiros, árvore autóctone e bem conhecida dos portugueses pela cortiça, que, para além do papel representativo na economia portuguesa, é uma mais-valia ecológica pela sua combustão lenta e consequente resistência ao fogo.

O NASCIMENTO DA FLORESTA

A plantação dos 365 sobreiros terá lugar em novembro, no Norte de Portugal num terreno adequado à espécie escolhida, devidamente autorizado para a plantação e tendo em atenção o estado atual do solo. As árvores serão plantadas mediante um plano preparado em conjunto com engenheiros florestais, arquitetos paisagistas e jardineiros locais que terá em consideração, entre outros fatores, a distância entre árvores - de maneira a prever o seu crescimento e uma manutenção saudável -, materiais necessários e limpeza dos terrenos.

FAZ PARTE DA MUDANÇA

Convidamos-te a juntares-te a nós para, de forma prática, plantarmos um Portugal mais verde. Fica atento, pois iremos partilhar mais informações acerca da plantação mais perto da data no site e nas nossas redes sociais.

SOBRE O SOBREIRO

Origem:

Sul da Europa e Norte de África

Porte:

25 m

Floração:

Março – Julho (folha persistente)

Fruto:

Setembro – Novembro ( a partir dos 10 - 12 anos; com regularidade após os 25.)

Habitat:

de raízes profundas, prefere solos soltos e permeáveis em ladeiras pouco elevadas (<1200m), protegidas dos ventos do norte e sem geadas, com climas algo húmidos pela proximidade ao mar.

Descortiçamento:

< 25 anos, ou quando a árvore atinja os 70 cm de perímetro medidos a 1,3m do solo. Volta repetir-se o mesmo processo passados 9 anos. Podendo ser descortiçado cerca de 17 vezes (em 150 de vida).

História

Representando anualmente mais de 700 milhões de euros da exportação portuguesa, a cortiça é o maior atractivo desta espécie. Emprega-se na construção, na industria vinícola, no mobiliário, etc. Da primeira e segunda desboias (termo utilizado para o descortiçamento) obtém-se cortiça dura e irregular, difícil de trabalhar usada para pavimentos, objectos decorativos, etc. Só a partir da 3ª desboia se obtém uma cortiça para a elaboração de rolhas de qualidade. Para além da casca, o seu fruto - as bolotas, tal como os Carvalhos - são utilizadas na alimentação de animais e extracção de óleos vegetais. A madeira é utilizada para lenha e carvão vegetal, assim como para a extração de taninos utilizados, por exemplo, na cosmética.