Sustentabilidade

Carlsberg está a criar cerveja à prova de alterações climáticas

Laboratório de investigação da Carlsberg está a desenvolver tipo de cevada resistente a climas quentes e secos
Texto
Cerveja Carlsberg (foto: Elin Tabitha/Unsplash)
Cerveja Carlsberg (foto: Elin Tabitha/Unsplash)

Temos más notícias para os fãs de cerveja: o planeta está cada vez mais quente e seco e, se nada for feito, esta bebida poderá deixar de ser produzida em breve. A Carslberg está ativamente a trabalhar para garantir que tal não acontece, estudando a genética das plantas que estão na receita de uma das bebidas mais consumidas no mundo.

Toda a indústria alimentar e das bebidas está a sentir o aperto das alterações climáticas. Cada vez são mais as plantações que não prosperam devido ao clima e a qualidade dos alimentos está a diminuir.

Cevada - AWAY
Cevada (foto: Lucie Hosova/Unsplash)

No caso da cevada, de onde vem o malte usado na cerveja, o calor tem um grande impacto na sua qualidade. Quanto mais quente o ambiente, mais o cereal produz proteína e cria cerveja com pouco álcool e sabor estranho.

A Carlsberg está a trabalhar ativamente para identificar e desenvolver cevada que seja resistente ao calor e à seca, sem perder as suas propriedades.

Anualmente, a Carlsberg produz mais de 14 mil milhões de litros de cerveja nas suas 84 fábricas espalhadas pelo mundo. O problema é que 16 destas estão em localizações que correm o risco de ter falta de água. Para piorar a situação, está a notar-se também falta de cevada.

Cerveja Carlsberg - AWAY
Carlsberg produz milhares de litros de cerveja anualmente (foto: Carlsberg)

Há vários anos que a empresa de cerveja faz investigação sobre a genética do cereal e do lúpulo, uma planta que ajuda a dar o sabor amargo à cerveja, tendo em 2017 publicado o genoma do primeiro e estando a preparar-se para o genoma do segundo.

O objetivo da Carlsberg é simples: criar melhor cevada. Para tal, cientistas estão constantemente a analisar o ADN de exemplares do cereal de várias partes do mundo.

Em declarações à Bloomberg, um representante do laboratório de investigação da empresa salientou que já conseguiram identificar as mutações na cevada que estão ligadas à tolerância à seca.

Produção de cerveja - AWAY
Produção de cerveja (foto: Pexels)

Uma das variantes encontradas é fresca, usa pouca água e garante uma espuma resistente na cerveja. Esta vai ser agora cruzada com outra que é mais resistente à seca. Se resultar, pode nascer numa nova variante que poderá ser plantada e prosperar em climas quentes e secos.

A empresa já tem seis patentes registadas relacionadas com as variantes do cereal e está a aguardar a aprovação de tantas outras.

Apesar de ter por hábito partilhar os resultados da sua investigação, há organizações que se têm oposto à aprovação das patentes, como a associação alemã sem fins lucrativos No Patents on Seeds! que refere que o trabalho da Carlsberg não pode ser considerado inovação tecnológica, mas sim reprodução normal.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Europa bate recorde de produção de energia eólica e solar
Preço dos combustíveis com forte descida na próxima semana
Radares da PSP para o mês de fevereiro: onde vão estar em todo o país