Smartcity

Ovar reforça reciclagem de óleos alimentares usados com nova aplicação

Município investiu 62 mil euros para reforçar reciclagem de óleos alimentares usados
Texto
Óleo alimentar usado transforma-se em detergente
Óleo alimentar usado transforma-se em detergente

O município de Ovar está a reforçar a reciclagem de óleos alimentares usados com a ajuda de uma nova aplicação para identificar pontos de recolha. 

Ao todo, a Câmara Municipal de Ovar investiu 62 mil euros em 60 oleões e na criação da applicação 'Carbon Foote', que ajuda a população a localizar os contentores específicos para depositar os óleos alimentares usados com origem doméstica ou em estabelecimentos de restauração e hotelaria.

Óleo alimentar - AWAY
Aplicação diz onde se pode colocar óleo usado (foto: A. Chaudhary/Unsplash)

A nova aplicação facilita a postura ecoconsciente dos munícipes, uma vez que indica onde se devem dirigir para depositar os óleos, poupando-lhes tempo e ajudando a desenvolver o hábito de reciclagem desses resíduos alimentares, muitas vezes negligenciados nas práticas domésticas de separação e valorização, mesmo por quem faz reciclagem diariamente. 

O investimento feito pela Câmara contempla cinco anos de atividade e abrange a campanha de divulgação da estratégia e a aquisição de materiais para o efeito, como funis que serão oferecidos a quem se inscrever na app. 

Os oleões que estão espalhados pelo concelho têm sensores de nível de enchimento que são monitorizados por um sistema informático. Quando o oleão atingir 85% da sua capacidade, é imitido um alerta à empresa responsável pelo esvaziamento. Este sistema permite contabilizar em tempo real o número de depósitos efetuados. 

Muitas vezes, o óleo é descartado através da canalização, acabando na rede de saneamento. A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) diz mesmo que “um litro de óleo doméstico deitado no ralo da banca da cozinha chega a contaminar de uma só vez um milhão de litros de água, o suficiente para a sobrevivência de uma pessoa até aos 40 anos”.

Em contrapartida, quando devidamente separados para reaproveitamento, esses resíduos líquidos podem ser valorizados e reintroduzir-se no circuito comercial como sabão ou biocombustíveis para aviões, carros, camiões e barcos. A APA realça, aliás, que “1000 litros de óleos alimentares usados permitem produzir entre 920 a 980 litros de biodiesel, combustível que apresenta índices de emissão de dióxido de carbono que podem ser 80% mais baixos do que os que são emitidos ao utilizar gasóleo”.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Preço dos combustíveis na próxima semana de 22 a 28 de julho
Projeto português cria vidro que produz eletricidade a partir da luz solar
O meu nome é Nissan Ariya. O apelido é Estilo. O resto é contigo