Sustentabilidade

Seixal, Loures e Lisboa no pódio da reciclagem de óleos alimentares

Três municípios da AML são os que mais CO2 poupam ao ambiente na reciclagem de óleos alimentares usados da Hardlevel
Texto
Óleos alimentares usados (foto: divulgação)
Óleos alimentares usados (foto: divulgação)

A reciclagem de óleos alimentares usados e a sua conversão para biocombustível tem permitido a várias empresas e municípios contribuir para evitar a emissão de gases nocivos à atmosfera.

Agindo de forma ativa na promoção da economia circular, a Hardlevel, um dos principais operadores do setor, divulgou há algumas semana a lista dos 10 concelhos que mais emissões de dióxido de carbono evitam à atmosfera graças à conversão dos óleos alimentares usados (OAU) em biocombustível.

Na rede da Hardlevel, um dos principais operadores portugueses de recolha, gestão e reciclagem de óleos alimentares usados (OAU), os municípios de Seixal, Loures e Lisboa são aqueles que em todo o território nacional mais emissões de dióxido de carbono (CO2) poupam à atmosfera, devido à transformação e refinação deste tipo de resíduos em biocombustível, como sejam o combustível de aviação sustentável (SAF - Sustainable Aviation Fuel) ou o óleo vegetal hidrotratado (HVO - Hydrotreated Vegetable Oil).

oleos - away
Um oleão em Vila Nova da Barquinha (foto: divulgação)

Os municípios que mais reciclam óleos em Portugal

No topo da lista dos 10 concelhos do País com melhor desempenho nesta matéria está o do Seixal, que em quatro anos (desde janeiro de 2018) conseguiu evitar a emissão de 393 toneladas de CO2 para o meio ambiente, graças ao conjunto de 84 oleões espalhados por todas as freguesias.

A curta distância surge a autarquia de Loures, com um dispositivo de 73 oleões e um contrato vigente desde junho de 2018, que poupou a atmosfera aos efeitos poluidores de 349 toneladas de CO2. A capital portuguesa, onde estão instalados 202 equipamentos da Hardlevel (numa parceria desde abril de 2021), ocupa o terceiro lugar, com 309 toneladas de dióxido de carbono evitadas.

Segue-se o município de Almada, com 204 toneladas de CO2 retidas, graças a uma rede municipal composta por 61 oleões.

oleos - away
Recolha de óleos (foto: divulgação)

Aveiro é o primeiro município fora da Área Metropolitana de Lisboa (AML) a surgir neste Top 10 ambiental. Os munícipes aveirenses, que utilizam os 74 contentores de descarte de óleos alimentares usados da Hardlevel desde novembro de 2019, lograram uma poupança de 176 toneladas de CO2, pela simples transformação dos OAU em combustíveis verdes, com um índice baixíssimo de emissão de gases de efeito estufa (GEE).

Segue-se-lhe Mafra (133 oleões), que, com os hábitos sustentáveis dos seus residentes, desde março de 2020 alcançou o marco de 162 toneladas de dióxido de carbono poupadas ao ecossistema envolvente.

Viseu (com um circuito de 43 oleões, sob a égide da Associação de Municípios do Planalto Beirão, desde agosto de 2020), Lourinhã (33 equipamentos, desde março de 2018), Santo Tirso (27 oleões, desde junho de 2019) e Figueira da Foz (30 oleões, desde junho de 2020), conseguiram cativar, respetivamente, cerca de 93, 92, 84 e 78 toneladas de CO2.

Somados os esforços destes 10 municípios, eles representam um total de 1.940 toneladas de CO2 cuja emissão se conseguiu evitar para o meio ambiente.

Nos últimos oito anos de atividade, a matriz de recolha e reciclagem de óleos alimentares usados implantada pela Hardlevel em território nacional permitiu poupar a atmosfera ao efeito estufa de 1.139.536 toneladas de dióxido de carbono.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Estes painéis solares de cor terracota são discretos e quase desaparecem no telhado
Primavera sem andorinhas? Número destas aves está em declínio
Sabes como guardar sobras de conservas, abacate ou tofu?