Mobilidade

Compra de moto elétrica dá direito a deduzir o IVA? Vê as regras

Autoridade Tributária e Aduaneira divulgou informação sobre dedução de IVA nas motos elétricas
Texto
Moto elétrica (foto: Ather Energy, Unsplash)
Moto elétrica (foto: Ather Energy, Unsplash)

O IVA suportado por uma empresa na compra de uma mota totalmente elétrica para utilização em deslocações de trabalho não pode ser deduzido, segundo refere a AT na resposta a um pedido de informação vinculativa, divulgada esta segunda-feira.

Na origem da questão está uma empresa com atividade no comércio, importação e exportação de máquinas e equipamentos para jardinagem, agricultura e de motociclos e suas peças e acessórios, que quis saber se poderia deduzir o IVA gasto na compra de uma moto elétrica.

A referida moto, segundo o contribuinte, destinar-se-ia a deslocações ao serviço da empresa "como idas aos correios, depósito de valores e compras pontuais de pequeno valor".

Ainda que o IVA seja um imposto desenhado de forma a tributar o consumidor final, permitindo, por isso, a dedução do imposto nas operações intermédias, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) sublinha que, no caso em questão, este direito à dedução não se aplica.

O código do IVA estabelece várias limitações ao direito à dedução, prevendo, por exemplo, que apenas pode deduzir-se o imposto que tenha incidido sobre bens ou serviços adquiridos, importados ou utilizados pelo contribuinte para a realização das operações de transmissões de bens e prestações de serviços sujeitas a imposto e não isentas.

A esta limitação somam-se-lhe outras que estão relacionadas com a natureza dos bens e serviços e que se justificam pelo facto de a sua natureza indicar que não são essenciais à atividade produtiva ou que são "facilmente desviáveis para consumos particulares, independentemente de incorporados na atividade produtiva".

"Ora, estando em causa a aquisição de um motociclo, a operação encontra previsão na exclusão [do direito à dedução] supra indicada e na regra segundo a qual o imposto suportado na aquisição de motociclos não confere direito à dedução", refere a resposta da AT, considerando que a mesma também não se enquadra nos casos em que este direito à dedução é afastado e que estão contemplados no código do IVA.

É que, refere a AT, mesmo nestas situações o "legislador optou por permitir o direito à dedução do imposto apenas nas situações em que o objeto da atividade é a venda ou exploração desses bens, excluindo da mesma as situações em que, não obstante aqueles bens sejam utilizados e indispensáveis para a atividade do sujeito passivo, não constituam o objeto da sua atividade".

Assim, mesmo tratando-se de um veículo totalmente elétrico, "o imposto suportado nas despesas de aquisição e/ou utilização do motociclo questionado, não confere o direito à dedução".

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
7 conselhos para conduzires em segurança em dias de chuva
Novo Dacia Spring traz novo design e mais equipamentos
Circulação de comboios na Linha de Cascais com cortes este fim de semana