Cidades

Planeamento ativo de cidades contribui para população mais saudável

A pandemia de Covid-19 despertou a necessidade de trabalhar melhor algumas áreas para melhorar a qualidade de vida das pessoas
Planear cidades é caminho para população mais saudável
Planear cidades é caminho para população mais saudável
PUB

Na sequência de uma mesa-redonda virtual com alguns dos líderes do governo norte-americano, foi acordado que as cidades deverão ter um papel mais importante e ativo nos cuidados com os seus habitantes e com a sua qualidade de vida.

A longo prazo, a ideia principal é criar as bases para diversos programas, por entre desafios tão complicados que vão desde os que estão relacionados com a solidão ou o vício em drogas, por exemplo, até aos que são provocados por eventos climáticos extremos e que acabam por incidir na saúde de tanta gente. A pandemia por que ainda estamos a passar evidenciou grandes desigualdades sociais e sanitárias, com lacunas que têm de ser estudadas e colmatadas.

PUB

Na América do Norte, ainda existem cidades onde não existe um programa de saúde adequado. No entanto, há diversas ideias integradas num plano urbanístico mais ponderado que podem melhorar consideravelmente o bem-estar de todos, como por exemplo melhorar os apoios para pessoas em luto ou com problemas relacionados com saúde mental ou até promover um estilo de vida mais saudável e ativo.

PUB
PUB
Cidades resilientes são o futuro
PUB

A Sharecare é uma empresa digital na área da saúde baseada em Atlanta, Geórgia, que tem a missão de juntar comunidades com os dirigentes das mais variadas cidades ou organizações de saúde pública, para que todos trabalhem juntos para o mesmo objetivo.

Através de milhões de inquéritos e outras bases de informação, a investigação da Sharecare já conseguiu identificar diversas áreas do planeta em que as pessoas têm uma expetativa de vida excecionalmente longa e que vivem felizes. Depois disto, é necessário estabelecer um plano e começar a implementar pequenas mudanças na sociedade que podem melhorar a saúde da grande maioria das pessoas.

Cidades devem ser desenhadas a pensar nas pessoas

Entre as mais variadas ideias está a aposta em escolhas mais saudáveis, acessíveis e atrativas em zonas próximas das habitações ou mesmo em escolas, restaurantes, supermercados e locais de trabalho. Estão previstas medidas como a criação de infraestruturas que levem a um estilo de vida mais saudável, ao mesmo tempo que se desencoraja a utilização de fast-food e de tabaco, por exemplo, mas se dá mais enfase às ligações entre toda a comunidade.

PUB

Dando ainda mais força a todas estas ideias, há já números que comprovam o sucesso de algumas destas medidas. Nas escolas primárias de Redondo Beach, na Califórnia, por exemplo, a adição de fruta e vegetais nos almoços, as aulas de nutrição e as sessões de exercício físico, fizeram com que, entre 2007 e 2019, a obesidade infantil tivesse sido reduzida em 68%.

A Sharecare já está a trabalhar em mais de 60 comunidades e este ano adicionam mais cinco no Norte da Califórnia.

Continuar a ler
Home
Comprar um veículo elétrico em segunda mão. Prós e contras
Preço dos combustíveis com aumento na 2ª feira
Descobre como a resiliência fará parte das smartcity do futuro