Energia

Tribunal da Relação do Porto mais sustentável com painéis solares

Ao todo vão ser instalados três sistemas de produção de energia solar para autoconsumo
Texto
Painéis solares (foto: Pexels)
Painéis solares (foto: Pexels)

O Tribunal da Relação do Porto está a apostar na sustentabilidade com a instalação de painéis solares para autoconsumo. Este será dos primeiros tribunais em Portugal a investir nesta tecnologia de energia renovável.

O projeto delineado pela Ecoinside prevê a instalação de três sistemas de produção de energia para autoconsumo (UPAC) que vão permitir a mitigação da dependência de energias de origem fóssil e a redução da pegada carbónica.

Por trás da decisão de avançar com o projeto está a consciência de que é necessário recorrer a energias renováveis, explicou José Igreja Matos, juiz desembargador presidente do Tribunal da Relação do Porto.

No total, vão ser instalados 83 módulos fotovoltaicos na cobertura do edifício que irão gerar uma potência pico 45,65 kWp.

A obra para instalação dos UPACs vai ser feita de forma a que não seja necessário “parar” o trabalho diário do tribunal, é explicado em comunicado. Os painéis ficarão numa zona discreta e não serão detetáveis a partir da rua, não interferindo com a estética do edifício.

O Tribunal da Relação do Porto está vinculado ao Pacto do Porto para o Clima, sendo um dos subscritores deste compromisso. Desta forma, tenta cumprir as políticas sustentáveis no âmbito da cidade.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Parte do plástico em Portugal é reciclado com recurso a energia solar
Vais comprar pão? 6 dicas para aproveitares até à última migalha
Quanto tempo demora o Citroën ë-C4 X a percorrer 1000 quilómetros?