Mobilidade

3 propostas de mobilidade urbana e as vantagens de teres uma mota elétrica

Levámos, ao estúdio do Esta Manhã, três propostas de motas elétricas e ainda falamos das vantagens de optares por uma mota elétrica
Texto

Mota elétrica, já tinhas pensado nisso? Se um automóvel elétrico está fora do teu orçamento e a bicicleta elétrica tem limitações várias, como a autonomia e vias de circulação, então esta pode ser a solução. Podes equacionar um motociclo elétrico!

A AWAY levou ao programa de informação Esta Manhã na TVI três propostas de mota elétrica para diferentes tipos de necessidade e de bolsa.

Optámos por motas com motorização elétrica equivalente ou superior a 125cc de forma a que possas desfrutar de qualquer uma delas em qualquer via (não esquecer que as vulgares 50 não podem, por exemplo, circular em autoestrada).

Três propostas de motas elétricas no Esta Manhã/TVI

BMW CE 04

De origem alemã, esta é a maior e também a mais potente deste grupo e por isso obriga a teres carta de motociclo (categoria A). A BMW CE 04 tem uma potência de 31 kW e uma bateria de 8,9 kW. A velocidade máxima está limitada a 120 km/h, tem uma autonomia de 130 km e assegura um comportamento ímpar entre as maxi scooter elétricas.

BMW CE 04

Em destaque, tem o tempo de carregamento que pode ser de apenas 4h20 (via wallbox), e o nível de equipamento inclui mimos como a travagem ABS e outros elementos de segurança. Podes ainda contar com marcha atrás para auxiliar nas manobras e com um sistema fabuloso de conetividade.

O preço começa nos 10.122 euros e com a linha de acessórios a fazer furor rapidamente somas mais uns milhares de euros à conta final. Mas é o preço da qualidade e exclusividade.

Seat Mó

É o grande furor nas estradas citadinas espanholas, de onde é originária, e chegou a Portugal há relativamente pouco tempo. A Seat Mó pode ser conduzida com carta de ligeiros (categoria B) e enquadra-se na categoria das 125cc. O motor elétrico possui 7 kW e a potência atinge os 9 kW. A velocidade máxima é de 95 km/h.

Seat Mó

A Seat Mó é muito prática e apresenta uma autonomia de 133 km. O tempo de carga (numa tomada convencional) pode ser entre 6 a 8 horas. Também tem marcha atrás e é possível guardar várias informações na aplicação específica que conecta com a Mó.

O preço da Seat Mó inicia-se nos 6225 euros e em todos os modelos é possível retirar a bateria num sistema tipo trolley de viagem. Segurança é por isso um destaque a ter em conta.

Niu MQI GT Evo

A representante chinesa do grupo é a Niu MQI GT Evo, também com categoria equivalente a 125cc (possível de conduzir com carta de ligeiros – categoria B).

Niu MQI GT Evo

A Niu MQI GT Evo é a mais leve das três opções, mas é também a que tem menor potência (6,5 kW). Ainda assim tem a velocidade limitada a 100 km/h, a autonomia fica-se pelos 75 km e o tempo de carga ascende às 5 horas (em tomada convencional).

Esta é a mais barata das opções em estúdio e apresenta um PVP a partir de 4999 euros.

Seat Mó (Paulo Passarinho/AWAY), BMW CE 04 e Niu MQI (Sara Sousa Pinto e Nuno Eiró/Esta Manhã-TVI)

5 vantagens rápidas de ter uma mota elétrica

  • São mais acessíveis. Temos preços desde cerca 2500 euros, mas se quisermos ter um pouco mais de autonomia e conforto já temos de despender acima de 5 mil euros. Ainda assim ,longe do automóvel elétrico mais barato, o Dacia Spring (cerca de 17 mil euros)
  • Mais práticas. Podes estacionar com mais facilidade em cidade ou em casa
  • Tem maior versatilidade. Em hora de ponta podes evitar filas de trânsito
  • Carregam mais rápido do que um automóvel. Verdade que têm menor autonomia, mas por carregarem mais rápido são opções urbanas interessantes. E para quem faça uma média diária entre 50/60 km, chegam perfeitamente.
  • Reduzido custo de manutenção

(Fotos: Esta Manhã/TVI, Captura Instagram Esta Manhã, Oficiais (BMW, Seat e Niu)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Radares PSP. Todas as localizações para o mês de outubro
Preço dos combustíveis vai subir para a próxima semana. A nossa previsão aqui
Eletricidade e gás ficam mais caros dia 1 de outubro