Mobilidade

Expansão do Sistema de Mobilidade do Mondego contestado por Coimbra

Município defende a ligação a Condeixa-a-Nova através de metrobus, mas propõe alterações ao traçado de ligação a Cantanhede
Texto
Coimbra (Foto: Armando Franca/ AP)
Coimbra (Foto: Armando Franca/ AP)

Os planos de expansão do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), infraestrutura de transportes públicos que será operada por metrobus (autocarros elétricos que circulam em via própria), estão a gerar sentimentos opostos junto das autarquias envolvidas, em especial à de Coimbra.

Se por um lado a Câmara Municipal de Coimbra recebeu com entusiasmo a notícia de que a proposta do Plano Ferroviário Nacional (PFN), recentemente apresentado, contemplava uma ligação do SMM a Condeixa-a-Nova, a possível ligação a Cantanhede está a gerar alguma apreensão ao executivo.

Contrariando o que é proposto num estudo encomendado pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC), a Câmara de Coimbra defende que uma possível expansão do SMM a Cantanhede deverá servir o norte do concelho.

Cantanhede - AWAY
Cantanhede (Foto: V. Oliveira/ Flickr)

O executivo aprovou um parecer favorável ao relatório final do estudo, considerando que a extensão proposta para Condeixa-a-Nova responde às necessidades de outras zonas urbanas de Coimbra, mas sublinha que relativamente ao traçado proposto para o eixo de Cantanhede tal já “não acontece”, uma vez que só teria três paragens dentro dos limites do concelho: Coimbra-B, Cidreira e S. Facundo.

Citada pela Lusa, Ana Bastos, vereadora com o pelouro dos transportes defende que “importa encontrar um traçado que permita servir, em simultâneo, o norte do concelho de Coimbra, como é o caso da Pedrulha e Adémia”. O município conimbricense acredita que apesar do traçado alternativo que abrangeria a zona norte do concelho ser ligeiramente mais longo, tal será compensado pela atratividade que irá gerar junto dos utilizadores.

De referir que o estudo encomendado pela CIM-RC concluiu que as ligações do SMM a Arganil, Góis e Penela, apresentam vários problemas, enquanto põe de parte uma via direta para a Mealhada, por estar servida pela ferrovia.

Está previsto que o SMM providenciado por metrobus entre em operação a partir de 2024, nessa altura para servir os municípios de Coimbra, Lousã e Miranda do Corvo.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Barco à vela produzido com algas e plástico reciclado inspira o futuro
Comer carne ou ser vegan? Qual a dieta com menos emissões de carbono?
Limitar o aquecimento global a 1,5ºC parece tarefa impossível diz novo estudo