Mobilidade

Depois do elétrico Spring, Dacia vai lançar novos híbridos a partir do início de 2023

Também o construtor do Grupo Renault aposta no fenómeno da eletrificação automóvel. Já a partir do próximo ano vai lançar-se nos híbridos, a começar pelo novo Jogger
Texto
Dacia aposta na eletrificação
Dacia aposta na eletrificação

No âmbito do lançamento do novo Dacia Jogger, tivemos oportunidade de falar com Thierry Berthelot, responsável de produto da Dacia, e com José Pedro Neves, diretor geral da Dacia em Portugal, sobre o futuro elétrico da marca do grupo Renault.

Tal como todas as principais marcas de automóveis com forte presença no mercado europeu, também a Dacia pisca os olhos à cada vez maior apetência pelas versões eletrificadas, sejam elas híbridas ou 100% elétricas.

O primeiro passo nesse sentido foi dado com o lançamento do Spring, ainda não passou um ano, mas a marca do grupo Renault promete mais novidades para breve, que também passam pelo novo modelo Jogger.

Dacia Spring

Embora a incursão da Dacia pelas motorizações elétricas seja ainda recente, certo é que o construtor tomou um passo corajoso com a sua estreia neste domínio, pois “saltou a casa da partida”, que é como quem diz, passou os híbridos (se descontarmos os modelos a GPL), e lançou-se de imediato no mercado dos totalmente elétricos com o pequeno Spring. E que boa opção parece ter sido.

O modelo citadino tem sido um sucesso de vendas desde que foi lançado na primavera (daí o seu nome) do ano passado e as encomendas não param de crescer, o que faz com que novos pedidos possam ter prazos de entrega de aproximadamente seis meses.

José Pedro Neves, diretor geral da Dacia em Portugal

José Pedro Neves, diretor geral da Dacia em Portugal, revelou em entrevista à AWAY que já foram vendidas cerca de 600 unidades do Spring no nosso país e que há aproximadamente 500 encomendas para satisfazer nos próximos meses.

O modelo de quatro lugares fabricado na China, com preços a partir de 17.300€, revela-se, assim, uma boa aposta da Dacia, que parece agradar a quem procura um automóvel elétrico sem ter de gastar muito. E a partir de março, pode também vir a ser uma opção no segmento das viaturas comerciais ligeiras, altura em que é lançado o Spring Cargo.

Dacia Jogger

O que podemos então esperar ao nível de novas propostas de modelos eletrificados da marca de origem romena, mas que hoje se afirma de alma totalmente francesa? Estivemos à conversa com Thierry Berthelot, responsável de produto da Dacia, que nos confirmou que a próxima novidade irá surgir em 2023, com o lançamento da versão híbrida do novo Jogger.

A carrinha de estilo SUV chega ao mercado nacional no próximo mês de março e será lançada com duas motorizações a combustão – gasolina com 110 cv e bi-fuel (gasolina + GPL) com 100 cv – mas terá a companhia de uma versão “full hybrid” com caixa automática e motor de 140 cv no próximo ano, ao que tudo indica no decorrer do primeiro trimestre.

Para 2024 estão confirmados mais híbridos Dacia e, embora Thierry Berthelot não nos tenha adiantado os modelos em questão, é de prever que a eletrificação chegue tanto ao utilitário Sandero como ao SUV Duster.

Thierry Berthelot, responsável de produto da Dacia

Sobre versões 100% elétricas destes ou outras propostas elétricas totalmente novas, o responsável francês preferiu deixar o tema em aberto, afirmando que “tudo depende do custo de desenvolvimento e produção” e que o princípio é manter a Dacia como uma marca atrativa, moderna e capaz de oferecer automóveis de qualidade a um preço muito competitivo.

Temos a vantagem de fazer parte do Grupo Renault, o que significa que temos toda a tecnologia à nossa disposição. Contudo, o custo de desenvolvimento e produção de um automóvel elétrico de uma gama superior [face ao Spring] pode ser incompatível com disponibilizá-lo a um baixo preço”, concluiu.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Radares da PSP: vê onde vão estar de 15 a 21 de julho
Cidades mais verdes e menos compactas têm taxa de mortalidade mais baixa
Vai nascer mais um troço de ciclovia em Lisboa