Cidades

Projeto-piloto europeu quer desenvolver mobilidade partilhada nas cidades

Lisboa, Setúbal, Instituto Superior Técnico e EMEL fazem parte de consórcio europeu criado para estudar soluções de mobilidade sustentáveis
Texto
Portugal em projeto-piloto europeu para mobilidade partilhada
Portugal em projeto-piloto europeu para mobilidade partilhada

Como é que podemos tornar as cidades mais navegáveis? Essa é a questão a que se tem tentado responder um pouco por todo o mundo e na Europa não é diferente.

Com a rápida urbanização, fica impossível ignorar as necessidades de mobilidade dentro dos grandes centros urbanos e, por isso, a EIT Urban Mobility, cofundada pela União Europeia, criou o projeto-piloto SmartHubs que pretende desenvolver a mobilidade partilhada nas áreas urbanas.

O projeto conta com a participação de várias cidades, companhias e universidades espalhadas pela Europa que trabalham para estudar modelos de polos de mobilidade partilhada e tentam criar soluções que não só facilitem as deslocações das pessoas, como também ajudem a reduzir as emissões de CO2 nas cidades.

De Portugal, participam as cidades de Lisboa e Setúbal, assim como o Instituto Superior Técnico, a Transportes Metropolitano de Lisboa e a EMEL.

O Instituto Superior Técnico está a desenvolver um modelo de negócio de polo de mobilidade que possa ser usado pela cidade de Lisboa. Já a EMEL está focada em criar um sistema de partilha de bicicletas que seja eficiente e de fácil utilização e, para tal, já pediu a colaboração dos lisboetas e esteve até ao final de novembro a recolher ideias e sugestões sobre como melhorar o serviço.

A Transportes Metropolitanos de Lisboa ficou responsável por implementar um centro de mobilidade próximo de uma estação multimodal no município de Setúbal.

(Fotos: EMEL/Frederico Henriques, P. Almeida e T. Olarewaju/Unsplash)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Governo recomenda baixar a velocidade máxima para os 100 km/h
Dinamarca está a substituir comboios Diesel por elétricos
Itália tem primeira residência para estudantes alimentada a hidrogénio