Energia

Matosinhos diz adeus a luminárias convencionais e põe luzes LED

Câmara de Matosinhos vai substituir 20.281 luminárias convencionais
Texto
Matosinhos poupa na iluminação (Foto: P. Menezes/Unsplash)
Matosinhos poupa na iluminação (Foto: P. Menezes/Unsplash)

A Câmara Municipal de Matosinhos vai substituir 20.281 luminárias convencionais por tecnologia LED e instalar um sistema de telegestão para iluminação pública, revelou hoje a vereadora do Ambiente e Transição Energética.

Na apresentação do Plano Diretor de Iluminação Pública (PDIP), Manuela Álvares explicou que o objetivo destas medidas passa por tornar Matosinhos, no distrito do Porto, mais eficiente em termos energéticos.

Assim como afirmar o concelho no contexto das cidades inteligentes, contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, revitalizar a atividade humana durante o período noturno e cooperar para a valorização e coesão territorial, sublinhou.

Motivo pelo qual o recurso à iluminação LED está sujeito o “exigentes especificações técnicas” para prevenir a poluição luminosa, garantir uma ajustada temperatura da cor e a adequada restituição da cor dos objetos iluminados e contrariar os efeitos precoces de uma corrosão atmosférica, especialmente num território servido por uma extensa zona costeira e exposto a elevados teores de salinidade, vincou.

Manuela Álvares reforçou que numa cidade coexistem duas cidades, uma de dia e outra de noite, suscitando esta última preocupações ao nível da segurança das pessoas e rodoviária, daí a importância da iluminação pública.

Segundo a vereadora, as cidades evoluíram e, atualmente, o período noturno tem uma dimensão imprescindível na valorização das cidades.

“A iluminação pública deve, por isso, ser concebida em articulação com a nova ênfase desse período, que ultrapassa a mera referência ao repouso e recolhimento, para se apresentar ainda como um espaço próprio de convivialidade, lazer, atração turística e promoção económica, cultural e social da cidade”, explicou.

Motivo pelo qual o sistema de telegestão da iluminação pública irá permitir controlar e gerir remotamente as redes de iluminação como, por exemplo, programar o acendimento ou reduzir a intensidade de uma lâmpada para economizar energia, frisou.

Recorde-se que em julho de 2023, o executivo municipal, liderado pela socialista Luísa Salgueiro, aprovou um investimento de 16 milhões de euros durante os próximos 16 anos na gestão da eficiência energética na iluminação pública.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
7 conselhos para conduzires em segurança em dias de chuva
Novo Dacia Spring traz novo design e mais equipamentos
Circulação de comboios na Linha de Cascais com cortes este fim de semana