Fantástico

Hyundai usa realidade virtual no processo de criação de novos modelos

Com a utilização de software e equipamentos de ponta, construtor coreano pretende que o seu design seja mais sustentável
Texto

A Hyundai tem estado a desenvolver e a investir em tecnologias de realidade virtual e de design 3D como parte do seu processo de criação de novos automóveis. Com o recurso a soluções tecnologicamente cada vez mais evoluídas, as equipas de design da marca podem acelerar e aperfeiçoar a fase de criação de um novo modelo e colaborar entre si, independentemente do país ou local em que se encontrem.

No passado tudo era diferente. Os designers da Hyundai iniciavam o processo criativo com esboços feitos em papel e competiam entre si para que as suas propostas fossem selecionadas. O desenho escolhido dava então origem a um modelo à escala, produzido em argila, num processo que poderia demorar até dois meses.

A partir do modelo à escala construía-se um outro em tamanho real, o que habitualmente gerava algumas incoerências, já que como salienta a Hyundai, “quando se passava de uma maqueta à escala para uma de tamanho real, nenhuma linha ficava na mesma”.

Outro inconveniente deste processo era o facto de os engenheiros não poderem trabalhar em simultâneo com os designers, uma vez que só podiam obter dados concretos depois de digitalizar o modelo com um sistema de fotogrametria.

Embora as fases de esboço e de competição de ideias continuem a ser fundamentais para os designers da Hyundai, a abordagem à criação de novos modelos é, hoje, radicalmente diferente.

Em vez de produzir modelos à escala em argila, a marca coreana utiliza ferramentas tecnologicamente avançadas, tais como software de desenho digital 3D. Estas permitem aos engenheiros fresar modelos à escala real utilizando dados 3D, o que acelera significativamente o processo de design.

Atualmente, 80 por cento do processo de design na Hyundai é totalmente digital.

O evoluído software tem também a vantagem de permitir a colaboração entre equipas, em ambientes multiutilizadores e multilocais, para além de dar aos designers a possibilidade de criar modelos e ambientes imersivos em realidade virtual, que ficam muito próximos do real.

Através da tecnologia de realidade virtual, os designers do construtor coreano têm acesso a ferramentas inovadoras como a de desenho por gravidade. Equipados com óculos VR e controladores que seguram com as mãos, imitando interações gestuais através do rastreio de movimento, os designers ficam totalmente imersos na experiência. Desta forma podem testar diferentes proporções e variações.

Outra vantagem desta tecnologia é a capacidade ilimitada de se testarem diferentes opções de cor, de materiais e de iluminação ambiente. Para além de poupar tempo, esta abordagem é também mais sustentável, uma vez que se produz significativamente menos desperdício, resultando numa redução das emissões de CO2.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Dinamarca está a substituir comboios Diesel por elétricos
Itália tem primeira residência para estudantes alimentada a hidrogénio
O futuro pode não ter sequer volante e vai ser mais sustentável