Energia

Seca provoca queda de produção hídrica da EDP, mas eólica e solar aumentam

Baixo fluxo de água nas barragens fez geração hídrica da elétrica nacional diminuir 64% no primeiro trimestre de 2022
Texto
Alqueva (Associated Press/Armando Franca)
Alqueva (Associated Press/Armando Franca)

A seca em Portugal levou a que a geração de energia hídrica da EDP tenha caído 64% nos primeiros três meses de 2022, altura em que o preço grossista da eletricidade atingiu novos máximos.

Em comunicado, a empresa portuguesa de energia explicou o período entre outubro de 2021 e março de 2022 foi o mais seco desde 1931 o que fez com que se registassem “fluxo de água anormalmente baixos [...], 70% abaixo da média histórica em Portugal (e 50% abaixo da média histórica em Espanha)”.

Por esta razão, a geração hídrica diminuiu significativamente, estando 64% abaixo do registado no período homólogo.

Citada pela Lusa, a EDP refere que espera uma produção térmica acima do esperado nos próximos trimestres, uma vez que “desde o início do ano, foram adicionados ao portfólio +0,5GW [gigawatts] de capacidade eólica e solar”, e desde final de março de 2022 havia “2,4GW de capacidade em construção”.

A empresa destaca ainda que as energias renováveis representaram 75% da eletricidade gerada pela EDP no primeiro trimestre do ano, sendo que, apesar da geração hídrica ter diminuído, houve um aumento na geração eólica e solar.

Em relação ao consumo energético em Portugal, houve um aumento de 3% na eletricidade distribuída nos primeiros três meses de 2022, o que a EDP justifica com a recuperação do setor da indústria e serviços.

(Fotos: Unsplash)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Ponte Vasco da Gama encerrada ao trânsito na próxima madrugada
O futuro pode não ter sequer volante e vai ser mais sustentável
Combustíveis: gasóleo e gasolina descem segunda-feira... mas pouco