Energia

Seca obriga a restrição do uso de barragens para eletricidade e rega

Seca interminável em Portugal obriga Governo a definir cota mínima em 5 barragens e restringir uso para produção de eletricidade e rega agrícola
Barragem Castelo de Bode (DeAgostini/Getty Images)
Barragem Castelo de Bode (DeAgostini/Getty Images)

A seca que se tem feito sentir nos últimos tempos fez com que o Governo restringisse o uso de várias barragens para produção de eletricidade e para rega agrícola, tendo sido definida uma cota mínima em cinco barragens para garantir o abastecimento de água para consumo humano durante dois anos.

A decisão foi anunciada pela ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, e pelo ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, depois de uma reunião de acompanhamento da seca.

As barragens de Alto Lindoso e Touvedo (no distrito de Viana do Castelo), Cabril (Castelo Branco) e Castelo de Bode (Santarém) apenas serão usadas para produzir eletricidade duas horas por semana, de forma a garantir a manutenção do sistema.

A barragem de Bravura, no Barlavento algarvio, não poderá ser usada para rega.

Matos Fernandes referiu que há bacias hidrográficas com enchimento acima da média, como Douro e Guadiana, assim como água armazenada nas barragens de Alqueva, Alto Sabor e Tua que poderão ser usadas.

Na conferência, o ministro do Ambiente e Ação Climática referiu que esta gestão tem como objetivo suprir necessidades e não descartou a hipótese de serem criadas mais medidas no princípio de março, altura em que a comissão de acompanhamento da seca se volta a reunir.

De acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, há 80% de probabilidade de 2022 ser um ano seco.

(Foto: Nuno Veiga/Lusa)

Continuar a ler
Home
Radares: onde vão estar instalados os controlos de velocidade da PSP em julho
Lisboa é considerada a cidade mais feliz do mundo
Painéis solares grátis? Descobre como teres acesso