Sustentabilidade

Depois da Ikea e Microsoft, Apple aceita revelar emissão de gases

Califórnia pode passar a ter acesso a informação sobre impacto de atividade de grandes grupos no clima
Texto
Apple store Santa Monica, California (foto: AaronP/Bauer-Griffin/GC Images)
Apple store Santa Monica, California (foto: AaronP/Bauer-Griffin/GC Images)

A Apple acaba de apoiar de forma oficial um projeto de lei do Senado da Califórnia (EUA), que tem como objetivo obrigar grandes empresas a revelar os níveis anuais de emissão de gases de efeito de estufa.

De acordo com a Reuters foi através de carta que a Apple finalmente sublinhou estar determinada a compreender o impacto da sua atividade, através da medição e da partilha de relatórios anuais, no estado da Califórnia.

apple - away
Apple compromete-se a estudar impacto da atividade no ambiente (foto: Stephen L/Unsplash)

O projeto de lei da autoria do senador Scott Wiener pretende conferir acesso a dados verificados de forma independente sobre as emissões poluentes e, ainda de acordo com a mesma fonte, já tinha tido a aceitação de grandes empresas presentes como a Microsoft, Ikea e Adobe, tornando-se assim a Apple uma das últimas empresas com faturação superior a mil milhões de dólares a assumir o compromisso.

O principal regulador de valores mobiliários dos EUA ainda não publicou uma regra própria, há muito aguardada, sobre divulgações relacionadas com o clima, mas os senadores da Califórnia estão a avançar a nível estadual e poderão obrigar as grandes empresas inclusive a reportar os riscos financeiros relacionados com o clima, como já hoje fazem para custos de conformidade e seguros.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Radares da PSP: vê onde vão estar de 15 a 21 de julho
Cidades mais verdes e menos compactas têm taxa de mortalidade mais baixa
Vai nascer mais um troço de ciclovia em Lisboa