Sustentabilidade

Grandes empresas fazem greenwashing e anunciam falsas reduções de CO2

Relatório analisou os compromissos de 25 das maiores empresas mundiais e concluiu que a redução de emissões está aquém do divulgado
Relatório mostra que empresas fazem greenwashing
Relatório mostra que empresas fazem greenwashing

Uma avaliação feita a 25 das maiores empresas mundiais, entre elas a Apple, a Google, a Ikea, a Nestlé e a Vodafone, concluiu que muitas delas fazem falsos anúncios de reduções de emissões de gases com efeito estufa. A conclusão vem no primeiro “Relatório de Monitorização de Responsabilidade Climática Corporativa”, desenvolvido pelo NewClimate Institute e pela Carbon Market Watch, duas organizações europeias sem fins lucrativos da área da defesa do clima.

Este relatório foca-se nas estratégias climáticas e procura identificar bons exemplos de compromissos climáticos e também procura áreas onde são necessárias melhoras. A avaliação dos compromissos é feita através de indicadores qualitativos e quantitativos.

De acordo com o divulgado pela associação Zero, na sua maioria, as empresas falam em neutralidade carbónica, no entanto as reduções de emissões referidas estão muitas vezes a décadas de distância. Mais, a percentagem de redução de emissões, em média, corresponde a apenas 40% e não a 100%.

Identificado no relatório como greenwashing, ou seja, a utilização de técnicas para apregoar o que na verdade são falsas virtudes ambientalistas, algumas das empresas analisadas aproveitam-se de lacunas, omitem dados, escolhem datas de início de contabilização em que as suas emissões estavam no pico e criam medidas de ação climáticas falaciosas.

Todas as 25 empresas, que em conjunto apresentam uma pegada ecológica de 2,7 gigatonelas de dióxido de carbono, comprometeram-se em fazer a sua parte para reduzir a sua pegada ecológica, seja através de uma meta de zero emissões ou de neutralidade climática, mas apenas três, a Vodafone, Maersk e Deutsche Telekom, comprometem-se com a descarbonização de mais de 90% do total de emissões da sua cadeia de valor.

12 das empresas analisadas não fizeram qualquer compromisso quantitativo de redução de emissões para um determinado ano.

O relatório divulgado pela Zero destaca que, na prática, a redução será de menos de 20% da pegada carbónica destas empresas nos respetivos anos-alvo indicados.

O relatório resultou numa carta conjunta, assinada por 27 ONG entre elas a Zero, e enviada à União Europeia. Nesta são feitas algumas recomendações, entre elas, que os governos impeçam as empresas de alegar “neutralidade climática”, que as empresas estabeleçam metas que cubram o total de emissões da sua cadeia de valor e que indiquem reduções de emissões em termos absolutos e em percentagem.

Continuar a ler
Home
Conferência dos Oceanos 2022 em Lisboa até 1 de julho
Subida de água no planeta. Vê aqui este projeto de sensibilização em Copenhaga
Estão a aparecer microplásticos em gelo na Antártida