Smartcity

Eurocidade Cerveira-Tomiño investe 700 mil euros em projeto de resiliência às alterações climáticas

O projeto de maior impacto social e financeiro visa desenvolver estratégia conjunta de resiliência às alterações climáticas
Texto
Vila Nova de Cerveira (Foto: Sergei Gussev/Flickr)
Vila Nova de Cerveira (Foto: Sergei Gussev/Flickr)

A eurocidade constituída pelos municípios de Vila Nova de Cerveira, Alto Minho, e Tomiño, Galiza, vai investir 900 mil euros na adaptação do território transfronteiriço às alterações climáticas e na promoção da igualdade, foi hoje divulgado.

Em causa, segundo a Câmara de Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo, estão dois projetos incluídos na Agenda Urbana 2030 da eurocidade a implementar entre 2024 e 2026, num investimento de cerca de 900 mil euros, cofinanciados em 75% pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através do Programa Operativo de Cooperação Transfronteiriça Espanha Portugal (POCTEP).

O projeto de “maior impacto social e financeiro”, orçado em 700 mil euros, “visa a implementação de uma estratégia conjunta de resiliência do território transfronteiriço às alterações climáticas, através da valorização dos ecossistemas e dos seus recursos comuns, na cooperação institucional transfronteiriça e no envolvimento dos atores locais”.

“O objetivo é alavancar uma relação urbano-rural positiva, catalisadora de uma transformação dos hábitos de consumo, baseada na proximidade, nos recursos endógenos, no controlo das espécies invasoras e na economia circular”, explica uma nota hoje enviada pela autarquia.

Alto Minho (Foto: Sergei Gussev/Flickr)

Entre “as várias ações, está prevista a elaboração de um projeto piloto de monitorização da qualidade ambiental, um estudo sobre prevenção de inundações e afetação dos recursos hídricos para atividade agrária, e um projeto piloto de serviço de economia circular”.

O segundo projeto aprovado tem um orçamento de 200 mil euros e integra-se na Rede de Governança do Rio Minho Transfronteiriço do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho.

Ao abrigo desta iniciativa, a eurocidade Cerveira-Tomiño vai “desenvolver uma ação piloto de caráter transfronteiriço conducente à promoção transfronteiriça da igualdade, conciliação da vida laboral, familiar e pessoal”.

O projeto “inclui a realização de ‘workshops’, de ações culturais de sensibilização social e de umas jornadas de partilha de boas práticas, pretende-se sensibilizar os jovens e o tecido empresarial e institucional para a necessidade de implementar medidas promotoras da igualdade, de não discriminação e de equilíbrio entre a vida pessoal e profissional”.

Cofinanciada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através INTERREG V-A POCTEP, a Agenda Urbana Eurocidade Cerveira-Tomiño 2030, apresentada publicamente em outubro, incorpora 14 projetos, divididos por quatro eixos estratégicos, como a economia circular e relações urbano-rurais, desenvolvimento territorial e dinamização de recursos endógenos, mobilidade e transição digital e, ainda, cidadania e igualdade.

A eurocidade Cerveira e Tomiño foi constituída em outubro de 2018, para intensificar a coesão territorial.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Parte do plástico em Portugal é reciclado com recurso a energia solar
Vais comprar pão? 6 dicas para aproveitares até à última migalha
Quanto tempo demora o Citroën ë-C4 X a percorrer 1000 quilómetros?