Energia

Galp avança com biocombustíveis e hidrogénio verde em Sines

Um investimento global de 650 milhões de euros no desenvolvimento de soluções de baixo carbono
Texto
Refinaria Galp em Sines (foto: divulgação)
Refinaria Galp em Sines (foto: divulgação)

No Dia Nacional da Sustentabilidade, a Galp anuncia que irá investir 650 milhões de euros em dois projetos energéticos determinantes para a descarbonização da refinaria de Sines: uma unidade de biocombustíveis e uma dedicada à produção de hidrogénio verde.

Os dois projetos anunciados pela Galp para Sines incluem uma unidade de biocombustíveis avançados com capacidade de produção de 270 mil toneladas por ano e a instalação de 100 megawatt (100 MW) de eletrolisadores para produção de hidrogénio verde.

Biocombustíveis a partir de resíduos usados

A unidade de biocombustíveis avançados, um investimento de cerca de 400 milhões de euros, resulta de uma joint-venture com a Mitsui para produzir e comercializar Diesel renovável (óleo vegetal hidrotratado – HVO) e combustível sustentável para a aviação (SAF), numa unidade adjacente à refinaria de Sines, com capacidade para 270 mil toneladas por ano.

Em comunicado a Galp refere que o HVO e SAF serão produzidos a partir de resíduos usados, permitindo assim uma redução das emissões de gases com efeito de estufa em cerca de 800 mil toneladas por ano (800 mil ton/ano CO2e), comparativamente às alternativas fósseis disponíveis.

Estas decisões de investimento foram tomadas na expetativa de que a evolução do enquadramento fiscal e regulatório em Portugal não prejudique o sucesso destes projetos de grande dimensão, garantindo que as nossas operações industriais se mantenham competitivas a longo prazo num contexto global.” – Paula Amorim, Chairman

Galp irá produzir hidrogénio verde em Sines

A unidade de produção de hidrogénio verde da Galp em Sines, resulta de investimento estimado de 250 milhões de euros e terá capacidade de 100 megawatt (100 MW) de eletrolise que produzirá até 15 mil toneladas de hidrogénio renovável por ano.

Este projeto irá permitir substituir cerca de 20% do consumo atual de hidrogénio cinzento (ver aqui hidrogénio verde vs. cinzento), poderá representar uma redução das emissões de gases com efeito de estufa de aproximadamente 110 mil toneladas por ano (110 mil ton/ano CO2e) e o abastecimento de água industrial reciclada deverá representar um consumo de menos de 3% do consumo médio anual da refinaria.

Para assegurar a fonte de energia renovável para o funcionamento dos eletrolisadores a Galp estabeleceu acordos de fornecimento de longo prazo.

No mês passado a Galp anunciou o investimento de mais de 4,5 milhões de euros numa tecnologia inovadora de produção de hidrogénio .

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Comboios que levitam na linha? Empresa italiana está a testar tecnologia
Radares da PSP. É aqui que vão estar na semana de 24 a 30 de junho
Visita à fábrica da Nissan: sustentabilidade em destaque na produção do Qashqai