Energia

Será a energia nuclear a solução para descarbonizar a Europa?

Novo relatório fala sobre energia nuclear e o seu papel na descarbonização
Texto
Energia nuclear na Europa (Foto: Laurent Cipriani/AP)
Energia nuclear na Europa (Foto: Laurent Cipriani/AP)

Será que a energia nuclear deve ser mantida por mais tempo de forma a auxiliar a descarbonização? Um novo relatório agora divulgado parece indicar que não. 

O Gabinete Europeu do Ambiente (EEB, na sigla original), que junta 180 associações ambientalistas de 38 países, concluiu que o prolongamento da vida útil da energia nuclear na Europa é desnecessário para a descarbonização. Para a substituir, deve usar-se as energias renováveis, a poupança de energia e opções de flexibilidade, refere o relatório publicado pela EEB. 

A conclusão é que é viável eliminar gradualmente a "frota nuclear envelhecida da Europa", conseguindo-se alcançar a neutralidade carbónica até 2040. 

O relatório é divulgado na véspera de uma cimeira em Bruxelas sobre energia nuclear, que junta dirigentes políticos e empresas, para debater o papel da energia nuclear na redução dos combustíveis fósseis, aumentando a segurança energética e o desenvolvimento

A cimeira surge na sequência da inclusão da energia nuclear na declaração da cimeira da ONU sobre o ambiente que decorreu o ano passado no Dubai (COP28) que admite que esta pode ser uma fonte de energia com baixas emissões de dióxido de carbono.

O EEB discorda, referindo no relatório que a construção de novas centrais nucleares é "uma estratégia irrealista para a descarbonização". Isto porque tem custos muito elevados e a construção é demorada. 

Centrais nucleares - AWAY
Central nuclear na Alemanha (foto: Martin Meissner/AP)

O documento mostra “que a atual frota nuclear pode ser eliminada gradualmente, a par dos combustíveis fósseis, à medida que os países da União Europeia (UE) transitam para um sistema energético drasticamente mais eficiente, alimentado por energias renováveis e apoiado por opções de flexibilidade”.

O EEB salienta que a frota nuclear da UE está envelhecida, que todas as centrais, exceto duas, foram construídas antes de 2000, e que sem extensões de prazo a maioria das centrais deve encerrar até 2030. Segundo o organismo europeu, a contribuição da energia nuclear para o cabaz elétrico está em declínio na UE e os custos a aumentar.

O relatório conclui que os esforços de descarbonização dos Estados membros da UE devem dar prioridade à redução do consumo de energia na indústria, nos edifícios e nos transportes, ao mesmo tempo que aumentam a implantação das energias renováveis.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Radares da PSP: vê onde vão estar na próxima semana de 22 a 28 de abril
Mundo vive branqueamento em massa de corais pela segunda vez em 10 anos
Vê como fica o preço dos combustíveis na próxima semana