Mobilidade

Concept Renault Scénic Vision mostra futuro híbrido elétrico com hidrogénio

Sustentabilidade, tecnologia e inovação juntam-se na reinterpretação do conceito Scénic para o futuro

A Renault, uma das primeiras marcas a apostar em veículos elétricos, tem como objetivo, até ao final desta década, disponibilizar uma gama totalmente elétrica. A estratégia para o alcançar tem agora mais um caminho revelado.

O concept car Scénic Vision recupera o nome do ícone familiar revelado em 1991, mas revela agora o design de um futuro modelo totalmente elétrico que irá surgir em 2024.

Sustentabilidade é prioridade absoluta

Pode parecer estranho começar a descrever um carro pelos seus componentes estruturais, mas a verdade é que o foco total deste modelo é a sustentabilidade. Basta perceber que o Scénic Vision resulta da incorporação de mais de 70% de materiais reciclados e 95% dos materiais podem voltar a ser reciclados.

Por exemplo, as espumas, tecidos e costuras dos bancos, em tom branco, não pigmentado, são feitos de um único material 100% reciclado e reciclável. O piso do Scénic Vision é feito de um conjunto de reciclados que incluem por exemplo garrafas de leite e tubos de plástico.

Mas não só. As peças de aço são de material reciclado e de baixo carbono. Os elementos estruturais e decorativos (como consola e cockpit) são feitos com alumínio reciclado. A fibra de carbono é proveniente de sobras da Airbus e o tanque de hidrogénio é produzido com fibras de carbono provenientes de resíduos da indústria de papel. Os pneus são produzidos com 30% de bioplástico de fontes não alimentares.

Tecnologia híbrida elétrica com hidrogénio

O Renault Scénic Vision apresenta um motor de nova geração elétrico de rotor síncrono, de 160 kW (deriva do conhecido no Mégane E-Tech Eletric). Utiliza uma bateria mais pequena de 40 kWh (pode ser inteiramente reciclada e possui menos metais raros) complementada por uma célula de combustível de 15 kW com hidrogénio (depósito de 2,5 Kg). Traduzindo isto de forma simples: é um carro elétrico com uma espécie de extensor de hidrogénio. Genial!

A motorização híbrida, tanto elétrica como de hidrogénio, tem como objetivo reduzir o tempo de paragem para recarga de energia, ao mesmo tempo que contribui para reduzir a pegada de carbono, que o construtor refere ser 75% menor que um automóvel elétrico convencional. A marca assegura ainda que este modelo tem emissões zero na produção e utilização.

O funcionamento do modelo é muito simples. No dia a dia, em viagens curtas, o Scénic Vision comporta-se como um elétrico normal. Quando se pretende fazer viagens longas, o sistema de navegação calcula a energia que será absorvida pela célula de combustível e limita a bateria para assegurar uma maior autonomia e menor necessidade de carregamento.

Com este sistema híbrido a marca avança que é possível ter uma autonomia de até 800 km e uma paragem de apenas 5 minutos para abastecer com hidrogénio verde.

Interior de inclusão total

A tecnologia a bordo foi pensada para oferecer maior segurança para o condutor e passageiros, reduzindo o número de acidentes em 70%, ao mesmo tempo que assegura uma maior acessibilidade ao interior do modelo.

Para além de um ecrã central generoso, no interior existem 10 ecrãs de widget configuráveis, distribuídos em função da sua funcionalidade.

O Scénic Vision é acima de tudo um exemplo do compromisso do construtor francês e surge como uma montra tecnológica futurista que une inovação e sustentabilidade, promovendo também a inclusão.

Continuar a ler
Home
Combustíveis: gasóleo vai finalmente descer na próxima segunda-feira
Supervan desportiva de entregas rápidas com 1.470 kW
Carros elétricos usados. Uma boa opção? O que ter em conta?