Energia

EDP expande portfólio de energia solar com projeto de 100 MWp

Parceria com Faurecia prevê instalação de mais de 60 parques solares em fábricas na Europa, Ásia e Estados Unidos
Texto
EDP alarga portfólio de energia solar distribuída
EDP alarga portfólio de energia solar distribuída

A EDP acaba de fazer uma nova parceria com a multinacional de componentes automóveis Faurecia que visa a instalação de 100 MWp de energia solar nas fábricas da empresa localizadas na Europa, Ásia e Estados Unidos. Este é o maior projeto de energia solar distribuída assegurado pela EDP até ao momento.

Ao todo, este novo projeto vai permitir, até ao final de 2023, a instalação de mais de 60 parques solares de autoconsumo em instalações da Faurecia em Portugal, Espanha, Itália, Estados Unidos, China, Coreia do Sul, Japão e Tailândia. Desta forma, as fábricas passarão a consumir energia renovável produzida localmente para desenvolver as suas atividades.

A EDP prevê a que sejam usados cerca de 200 mil painéis solares na totalidade, o que irá evitar a emissão de cerca de 60 toneladas de CO2 ao longo da próxima década.

Esta parceria implica um contrato de longa duração, e a EDP ficará encarregue do investimento nos painéis solares, assim como da manutenção e operação.

A energia solar distribuída tem sido um dos segmentos em que a EDP tem apostado. Na Europa e no Brasil, já tem instalado cerca de 300 MWp em terrenos de empresas e famílias. Nos últimos anos, a empresa portuguesa tem também feito crescer o segmento apostando na aquisição de empresas como a Soon Energy, na Polónia, ou a C2 Omega, nos Estados Unidos.

A EDP espera até 2025 ter uma carteira de mais de 2 GW de energia solar distribuída, e a parceria com a Faurecia representa mais um passo para alcançar a meta.

(Fotos: EDP e Faurecia)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Sabias que 1 em cada 4 EV utilizam baterias da Coreia do Sul?
Preço da gasolina e do gasóleo desce na próxima segunda-feira. Vê aqui
Autocarro português a hidrogénio está a chegar à Europa