Energia

Há janelas que produzem energia solar e estão cada vez mais eficientes

Cientistas aumentaram capacidade de produção de células solares de forma a gerarem energia solar mesmo sem luz direta
Texto
SwissTech Convention Center (Foto: Ramoul, CC by SA 3.0 via Wikimedia Commons)
SwissTech Convention Center (Foto: Ramoul, CC by SA 3.0 via Wikimedia Commons)

Não se fazem edifícios sem janelas e porque não rentabilizar o vidro para, mais do que dar luz aos espaços, gerar energia solar? As células solares transparentes não são uma novidade, mas a sua capacidade de produção ainda não era digna de destaque. Agora, cientistas na Suíça conseguiram um novo recorde de eficiência para estes painéis fotovoltaicos que podem substituir o vidro nas janelas da tua casa.

Falamos da tecnologia de células solares sensibilizadas por corantes, também conhecidas por células Grätzel. Esta tecnologia utiliza uma tinta sensível à luz que é colocada à superfície de um semicondutor. Assim, a luz visível converte-se em energia.

Apesar de já se verem estas células em vários edifícios, especialmente nas fachadas ou nos tetos de vidro, uma das queixas mais comuns é que esta tecnologia apenas consegue produzir energia solar quando há luz direta, ficando assim muito atrás dos painéis fotovoltaicos tradicionais.

janelas solares - AWAY
Janelas solares no SwissTech Convention Center (Foto: MHMM55, CC by SA4.0 via Wikimedia Commons)

Cientistas da École Poytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL), na Suíça, melhoraram a tecnologia e descobriram uma forma de garantir produção energética sempre que há luz visível.

A nova descoberta garante um aumento de eficiência na produção de energia solar, ultrapassando os 15% no caso de luz solar direta e indo até aos 30% para condições de luz ambiente.

Desta forma, as células solares conseguem produzir mais energia mesmo quando o sol não está a incidir diretamente sobre elas.

Desenvolvendo-se a eficiência energética das células solares sensibilizadas por corantes, poderá aumentar-se substancialmente a produção da energia renovável. Basta imaginar grandes arranha-céus em que todas as janelas têm a capacidade de gerar energia.

Escola Internacional de Copenhaga - AWAY
Escola Internacional de Copenhaga (Foto: Guilherm Vellut/Flickr)

Desde que o Centro de Convenções SwissTech, no campus do EPFL, começou a usar a tecnologia de células solares sensibilizadas por corantes em 2012, outros espaços seguiram-lhe o exemplo.

De acordo com a Euronews, a Escola Internacional de Copenhaga tem 12 mil painéis solares transparentes desde 2017 que geram 300 megawatts hora (MWh), suficiente para satisfazer metade das necessidades energéticas do edifício.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Vê onde vão estar os radares da PSP em dezembro
Portugal poderá vir a ter produção de hidrogénio verde em Gondomar
Preço dos combustíveis: Governo impede descida prevista para esta semana