Sustentabilidade

Alterações climáticas: Ásia foi a região mais afetada em 2023

Inundações e tempestades foram os fenómenos com maior impacto na Ásia, o ano passado
Texto
Alterações climáticas (foto: Jim Watson/AFP via Getty Images)
Alterações climáticas (foto: Jim Watson/AFP via Getty Images)

As alterações climáticas estão a impactar o mundo inteiro, mas há zonas que têm sofrido mais. Em 2023, a Ásia foi a região mais afetada por desastres relacionados com o clima em 2023, anunciou a ONU.

De acordo com informações da Organização Meteorológica Mundial (OMM), da ONU, as alterações climáticas exacerbaram a frequência e gravidade de eventos climáticos. As inundações e tempestades foram os fenómenos que causaram maior número de vítimas e perdas económicas.

O ano passado foi o mais quente já registado em todo o mundo, e a Ásia está a aquecer mais rapidamente do que a média global, com temperaturas em 2023 a subir quase 2ºC em relação à média entre os anos 1961 e 1990.

O impacto das ondas de calor está a tornar-se cada vez mais severo no continente asiático, disse a OMM, em comunicado, acrescentando que o degelo dos glaciares, particularmente na cordilheira dos Himalaias, ameaça a segurança hídrica da região.

Muitos países da Ásia viveram em 2023 “uma série de condições extremas, desde secas e ondas de calor a inundações e tempestades”, refere Celeste Saulo, diretora da OMM.

Um novo relatório da OMM destacou o ritmo acelerado dos principais indicadores das alterações climáticas, como a temperatura da superfície do mar e a subida do nível das águas, alertando para o grave impacto nas sociedades, nas economias e nos ecossistemas da região.

A precipitação ficou abaixo do normal nos Himalaias e na cordilheira do Hindu Kush, no Paquistão e no Afeganistão, enquanto o sudoeste da China sofreu uma seca, com níveis de precipitação abaixo do normal em quase todos os meses do ano passado.

Seca - AWAY
Seca em Maharashtra, Índia (foto: Ritesh Shukla/Getty Images)

Na região montanhosa da Ásia, centrada no planalto tibetano, que contém o maior volume de gelo fora das regiões polares, 20 dos 22 glaciares alvo de monitorização registaram uma perda contínua de massa.

O relatório afirmou que as temperaturas da superfície do mar no noroeste do oceano Pacífico em 2023 foram as mais altas já registadas.

No ano passado, foram notificados 79 desastres associados a riscos meteorológicos e hidrográficos na Ásia. Mais de 80% foram inundações e tempestades, que causaram mais de duas mil mortes e afetaram diretamente nove milhões de pessoas.

A 7 de setembro, depois da passagem de um tufão, Hong Kong registou 158,1 milímetros de precipitação em uma hora, um recorde desde que os registos começaram em 1884.

"Reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e adaptar-se às alterações climáticas é uma necessidade fundamental", alertou.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Estes iates de sonho a energia solar vão ser feitos com garrafas de plástico
Empresa portuguesa vai construir central de energia solar de 19 milhões de euros
5 formas de aproveitares as borras de café e dar-lhes uma nova vida