Atualidade

O teu café está mais caro e a culpa não é só das alterações climáticas

Parece que há três fatores que estão a provocar o aumento do preço do café
Texto
Ação Café Circular (foto: C. Photography/ Pexels)
Ação Café Circular (foto: C. Photography/ Pexels)

Se és fã de café, com certeza já te apercebeste que o café tem ficado mais caro nos últimos anos. Parece que há três fatores que estão a provocar este aumento: as alterações climáticas, a menor produção e os ataques no Mar Vermelho.

Desde a pandemia de covid-19 que os preços do café robusta – a variedade mais consumida pelos portugueses – nos mercados internacionais subiram mais de 200%, continuando ainda em valores altos, o que tem impacto no setor deste produto.

Café - AWAY
Grão de café (foto: Mike Kenneally/Unsplash)

"Este aumento de preços pode ser explicado pelos fatores tradicionais da oferta e da procura: uma produção insuficiente nos países de origem, essencialmente África Central e Vietname, que conduziu a uma baixa recorde dos 'stocks' mundiais de café robusta e uma procura mais acentuada por parte da indústria", que "agravou este problema", aponta a secretária-geral da Associação Industrial e Comercial do Café (AICC), Cláudia Pimentel.

Além disso, as alterações climáticas nos países produtores está a ter um impacto negativo nas produções, o que tem impacto nos preços do café verde.

A isto, somam-se as condicionantes que "a situação no Mar Vermelho está a trazer ao comércio internacional", onde os Huthis atacam navios há meses, com o aumento dos custos de transporte e um atraso na chegada de mercadorias à Europa.

Estes três fatores fazem com que o preço do café robusta tenha atingido o valor mais alto de sempre no mercado.

Luís Lorena, ‘broker’ de café verde, não prevê que o preço do café possa descer para já. 70% do café que se consome em Portugal é o robusta e 30% o arábica e o primeiro está com pouca disponibilidade a nível mundial.

Os produtores de café robusta produzem cada vez menos, com países como Camarões e Costa do Marfim a abandonar o café e a apostar no cacau.

A Índia, que também é produtora, tem um consumo interno muito elevado e tem escoado o seu café para a indústria solúvel na Ásia. Vietname e Indonésia têm tido colheitas difíceis devido ao mau tempo.

A única alternativa que existe é o Brasil, explica Luís Loreno, que produz robusta numa quantidade suficiente, mas "não é muito bem aceite na Europa", concluiu.

 

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Radares da PSP: vê onde vão estar na próxima semana de 22 a 28 de abril
Mundo vive branqueamento em massa de corais pela segunda vez em 10 anos
Vê como fica o preço dos combustíveis na próxima semana