Sustentabilidade

Nível das águas subterrâneas está a baixar a ritmo alarmante

Estudo alerta que alterações climáticas e práticas de rega insustentáveis estão a prejudicar o lençol freático
Texto
Água (foto: Jimmy Chang/Unsplash)
Água (foto: Jimmy Chang/Unsplash)

Os níveis de água subterrâneos do mundo inteiro têm tido um declínio acelerado nos últimos anos. O alerta é dado num novo estudo publicado esta quarta-feira, 24 de janeiro.

Os lençóis freáticos, que retêm águas subterrâneas, são uma das principais fontes de água fresca para a agricultura, habitações e indústrias. No entanto, a má gestão da mesma está a ter um impacto muito negativo, refere o estudo publicado pelo jornal científico Nature, citado pela Reuters, que analisou 170 mil poços em mais de 40 países.

De acordo com um dos autores do artigo científico, Scott Jasechko, da Universidade da Califórnia, uma das principais causas para o declínio tão acentuado e rápido das águas subterrâneas é o uso excessivo para regar plantações em climas muito secos.

Rega de plantações - AWAY
Rega de plantações (foto: Philip Junior Mail/Unsplash)

Além disso, a seca provocada pelas alterações climáticas também tem impacto, já que os agricultores acabam por se virar para os lençóis freáticos para evitar perder as suas plantações.

O esgotamento das águas subterrâneas é particularmente acentuado em climas secos com muita agricultura. Norte da China, Irão e zona oeste dos Estados Unidos foram consideradas as regiões mais afetadas.

O estudo permitiu concluir que mais de um terço dos 1693 lençóis freáticos monitorizados caíram pelo menos 0,1 metros por ano entre 2000 e 2022. 12% tiveram declínios anuais de mais de 0,5 metros.

Alguns dos lençóis em Espanha, no Irão, na China e nos Estados Unidos caíram mais de 2 metros por ano desde o início do século.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Hyundai apresenta primeiro camião a hidrogénio com condução autónoma
Segurança rodoviária: 9 peças de roupa a evitar quando se está ao volante
Projeto português cria vidro que produz eletricidade a partir da luz solar