Mobilidade

SIT FLEXI: o transporte público a pedido que funciona por reserva

Esta solução de transporte e mobilidade está a dar resposta às necessidades dos habitantes de zonas de baixa densidade demográfica
Texto
Transporte público a pedido (foto: divulgação/
Câmara Municipal de Oliveira do Hospital)
Transporte público a pedido (foto: divulgação/ Câmara Municipal de Oliveira do Hospital)

O sistema de transporte de passageiros flexível a pedido (SIT FLEXI) da Região de Coimbra atingiu as 10 mil reservas em 18 municípios da Comunidade Intermunicipal (CIM), anunciou hoje esta entidade.

“Esta solução de transporte e mobilidade está a dar resposta às necessidades e especificidades de mobilidade dos cidadãos que residem em zonas de baixa densidade demográfica”, afirmou em comunicado a CIM da Região de Coimbra, liderada por Emílio Torrão, presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho.

Além de melhorar as condições de mobilidade e acessibilidade dos cidadãos, o SIT FLEXI “tem igualmente um elevado cariz social e tem sido um importante elemento potenciador da coesão territorial, diminuindo as disparidades e as desigualdades sociais”.

Com este serviço, a CIM “atingiu um dos seus objetivos estratégicos mais significativos na área de transportes e mobilidade, que passa por garantir que todos os cidadãos da Região de Coimbra tenham acesso à rede de transportes, seja via autocarro, seja via transporte flexível a pedido”.

Com 1.032 utilizadores registados em 18 dos 19 municípios que integram esta CIM, o SIT FLEXI “não está direcionado a uma faixa etária particular”.

“No entanto, de acordo com os resultados de um inquérito efetuado, o perfil do utilizador do serviço é a população mais idosa (>65 anos), que apresenta limitações ao nível da mobilidade e que se encontra a residir em zonas isoladas e rurais, onde a cobertura da rede de transportes é escassa ou inexistente”, adiantou a entidade intermunicipal.

Atualmente, o serviço tem mais de 153 rotas planeadas e tem paragens em mais de 630 lugares, nos 18 municípios, sendo a operacionalização assegurada através de uma parceria com mais de 130 taxistas.

O projeto é apoiado pelo Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART), que financia as autoridades de transporte para desenvolverem ações que promovam a redução tarifária nos sistemas de mobilidade pública coletiva, bem como o aumento da oferta de serviço e a expansão da rede de transportes.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Parte do plástico em Portugal é reciclado com recurso a energia solar
Vais comprar pão? 6 dicas para aproveitares até à última migalha
Quanto tempo demora o Citroën ë-C4 X a percorrer 1000 quilómetros?