Energia

A Eni está a desenvolver sistemas de captura e armazenamento de CO2

De forma a reduzir as emissões de CO2 para a atmosfera, a Eni pretende captá-lo para armazenamento permanente ou para reutilização
Eni com projeto de captação de CO2
Eni com projeto de captação de CO2
PUB

A Eni é uma empresa multinacional de origem italiana que está ligada ao sector da energia e bastante dedicada à transição energética, esperando alcançar a descarbonização total de produtos e processos até ao ano 2050. Um exemplo é o projeto iniciado na plataforma offshore de Ravenna para captação de CO2.

A empresa italiana está a desenvolver diversos projetos em todo o mundo, como é o caso do mencionado em Ravenna, usando as tecnologias CCS (Carbon Capture and Storage) e CCU (Carbon Capture and Utilization), sob a supervisão do Centro de Investigação de San Donato Milanese e do Centro R&D para as Energias Renováveis e para o Ambiente em Novara.

PUB
Plataforma off-shore de Ravenna para captação de CO2
PUB

Uma das ideias principais passa pela captura de C02 diretamente nas fábricas mais poluentes, como as que estão relacionadas com a produção de cimento, de aço, papel e produtos químicos, sendo que esta última é responsável por mais de 20% das emissões poluentes italianas. Ao usar sistemas com líquidos iónicos em vez dos tradicionais à base de aminas, todo o processo consegue ser muito mais eficiente, sendo que esta tecnologia torna possível a interceção de CO2 diretamente da atmosfera e de uma forma que também é mais eficiente do ponto de vista energético, face às soluções já existentes.

PUB

Ver o vídeo sobre como capturar e valorizar o CO2

A Eni consegue assim contribuir para transformar aquilo que é atualmente um custo, naquilo que poderá ser uma oportunidade, uma vez que permite às diversas empresas localizadas na área onde se estão a desenvolver estes sistemas, a possibilidade de também descarbonizar as suas atividades, formando uma área industrial de carbono zero, que poderia atrair novos investimentos e criar mais postos de trabalho.

Abaixo um vídeo sobre o projeto Ravenna, de captura de CO2

Outro dos projetos está a ser desenvolvido com o MIT e tem o seu foco em sistemas de captura eletroquímica altamente eficientes que, através de uma redução química de CO2, permite criar metanol utilizando hidrogénio produzido pela eletrólise da água e que é alimentado por energias renováveis. Posteriormente, o metanol produzido desta forma pode ser reutilizado na produção de energia, ou usado diretamente como um dos componentes de combustível rodoviário, o que também dá uma ajuda na redução da pegada de carbono de todo este processo.

PUB

Na componente que se refere ao armazenamento de CO2, a Eni tem também um projeto que prevê a reutilização das jazidas de gás natural já esgotadas, e nas quais a empresa já tem as suas instalações offshore em funcionamento, sendo que toda a estrutura operacional de armazenamento e transporte de CO2 desde os seus centros onshore está a ser assumida pela Eni.

Continuar a ler
Home
Comprar um veículo elétrico em segunda mão. Prós e contras
Preço dos combustíveis com aumento na 2ª feira
Descobre como a resiliência fará parte das smartcity do futuro