Mobilidade

Hyundai planeia produzir os seus próprios semicondutores

Um dos responsáveis da Hyundai referiu que o pior já passou, mas que a marca pretende produzir os seus próprios chips no futuro
Texto
Hyundai planeia produzir os seus próprios semicondutores
Hyundai planeia produzir os seus próprios semicondutores

A escassez dos semicondutores que invadiu o mundo fez com que diversos construtores tivessem de ajustar o seu método de trabalho em função desse problema. Segundo Jose Munoz, o chefe de operações da Hyundai Motor Company, “o problema da escassez dos chips obrigou mesmo ao encerramento de algumas linhas de produção de automóveis um pouco por todo o mundo, mas é um problema que já começa a estar ultrapassado.” O COO global da Hyundai refere ainda que “a marca teve os seus meses mais difíceis em agosto e setembro”.

De facto, houve diversas empresas que não tiveram grande alternativa, senão esperar que os produtores dos semicondutores conseguissem voltar ao seu ritmo de produção habitual, mas houve outros que começaram a delinear estratégias alternativas para este problema. A Hyundai foi uma dessas marcas e é o seu Chefe de Operações que comenta que “a indústria está a reagir muito rapidamente e empresas como a Intel estão a investir muito dinheiro para expandir a sua capacidade de produção”.

Em relação à Hyundai, Jose Munoz refere que “no nosso caso, queremos ser capazes de desenvolver os nossos próprios chips dentro do grupo, de forma a estarmos menos dependentes em situações como esta. Claro que este é um processo que requer um grande investimento e que leva bastante tempo, mas é algo em que estamos a trabalhar”.

Na mesma entrevista, Jose Munoz conta ainda que a Hyundai, juntamente com a Toyota e a Tesla, foram das poucas marcas que conseguiram aumentar as suas vendas globais, apesar da escassez de chips. A marca coreana optou mesmo por não reduzir o número de encomendas durante os tempos de pandemia, depois de assistir à rápida recuperação dos mercados asiáticos.

No que diz respeito à Hyundai Motor North America, que é liderada por Jose Munoz, a produção de veículos elétricos poderá começar já em 2022, sendo que já estão a decorrer trabalhos de expansão da sua fábrica no Alabama com o objetivo de aumentar a sua capacidade de produção.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Governo recomenda baixar a velocidade máxima para os 100 km/h
Comboio de alta velocidade Porto-Lisboa poderá ser uma realidade dentro de uma década
Itália tem primeira residência para estudantes alimentada a hidrogénio