Sustentabilidade

Algarve vai ter novo parque natural para proteger biodiversidade

Projeto no Algarve tem o financiamento do Ministério do Ambiente e da Ação Climática
Texto
Lagoa, Algarve (foto: Facebook Município de Lagoa)
Lagoa, Algarve (foto: Facebook Município de Lagoa)

Vai nascer um novo parque natural no Algarve até 2025. O Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC) vai financiar a compra dos terrenos das Alagoas Brancas pela Câmara de Lagoa para a criação de um parque natural que irá ajudar a proteger a biodiversidade da zona.

Com cerca de nove hectares, o sítio das Alagoas Brancas é uma zona húmida de água doce temporária, localizada no seio de um aquífero aluvionar. Este sustenta um ecossistema de enorme biodiversidade utilizado por mais de 300 espécies de animais e plantas, incluída na área urbana do município do distrito de Faro.

Em comunicado, o MAAC adianta que transferiu já 3,7 milhões de euros, podendo o município avançar para a aquisição daqueles terrenos, para onde estava previsto um projeto comercial que foi fortemente contestado pela população e ambientalistas.

Na altura, quem se mostrou contra o desenvolvimento do projeto comercial justificava que este iria destruir o ecossistema da zona.

Em 2019, a Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental do Algarve (ALMARGEM) coordenou um estudo de três zonas húmidas no Algarve, que reuniu vários especialistas, sendo as Alagoas Brancas analisadas em pormenor para se identificar a biodiversidade existente no local.

“O Ministério do Ambiente e da Ação Climática empenhou-se em encontrar a melhor solução para, em articulação com o município de Lagoa, proceder à salvaguarda e gestão adequada desta zona húmida, bem como dos valores naturais aí presentes, face ao previsto na lei”, refere o Governo.

Em 2023, adianta, em conjunto com a Câmara de Lagoa, foi avaliada a hipótese de aquisição do loteamento das Alagoas Brancas e terrenos adjacentes, tendo o Governo assumindo o compromisso de apoiar, por via do Fundo Ambiental, o projeto que visa a criação de um parque natural naquela zona da cidade.

A aquisição dos terrenos pela Câmara vai permitir a preservação das Alagoas Brancas e a criação do futuro parque natural da cidade de Lagoa, investimento de 4,4 milhões de euros, dos quais 3,6 milhões são diretamente financiados pelo Fundo Ambiental.

O projeto técnico da responsabilidade do município “consistirá na renaturalização de forma a criar uma área de valor natural que permita a visitação e a fruição do espaço e será alvo de parecer do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF)”, assinala o Governo.

A conclusão do projeto do Parque Natural da cidade de Lagoa está prevista para o final de 2025.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
7 conselhos para conduzires em segurança em dias de chuva
Novo Dacia Spring traz novo design e mais equipamentos
Circulação de comboios na Linha de Cascais com cortes este fim de semana