Mobilidade

Um veículo elétrico na Rússia pode ser mais económico do que o mítico Lada

Energia elétrica barata, mercado de usados importados da China e Japão tornam os veículos elétricos uma melhor opção
Carregamento elétrico na Rússia
Carregamento elétrico na Rússia

O fenómeno recente de popularidade de veículos elétricos no oriente russo tem várias explicações e, curiosamente, nenhuma delas parece ser o prometido incentivo à compra por parte do executivo de Moscovo.

Com o preço dos combustíveis (petróleo) mais caros, mas o custo da eletricidade mais barata, a zona oriental da Rússia, mais próxima da China e do Japão viu "nascer" nos últimos meses uma oportunidade nos VE usados importados.

O preço mais elevado dos combustíveis (cerca de 6%) deve-se ao facto das refinarias locais terem uma produção insuficiente. Ao contrário, a eletricidade é subsidiada e tem, por isso, um custo mais baixo do que no resto do país, fruto de políticas para estimular o desenvolvimento económico na região. Quanto aos automóveis mais acessíveis, o motivo chama-se Ásia, em especial o mercado de usados da China e Japão.

A China é já o maior produtor e vendedor mundial de elétricos, por isso o mercado de usados começa a ser uma oportunidade. Por outro o elevado poder de compra médio no Japão leva a troca de veículos mais cedo do que no ocidente e isto gera também um bom fluxo de carros elétricos usados.

Dados da Bloomberg do final do ano passado estimam que cerca de um quinto dos veículos elétricos usados oriundos da Ásia acabam na zona oriental da Rússia.

O Lada Granta não é concorrencial quando comparado com um Leaf usado com 8 anos por exemplo

Mas há um outro fator que faz os elétricos serem preferidos. É que o mítico Lada, carro do povo na Rússia, tem, por exemplo com o best-seller Granta um custo duas a três vezes superior, por exemplo a Nissan Leaf com 8 anos.

A consultora Vygon Consulting referiu já em meados do ano passado, em declarações à Bloomberg que a poupança média obtida com um Nissan Leaf usado é de cerca de 40 a 50 mil rublos anuais (460€ a 580€) quando comparado com o custo de ter um Lada Granta.

E, para ter uma ideia, nesta região russa isso equivale ao salário médio da população. Resultado? Há já inúmeras cidades onde é possível ver extensões de eletricidade penduradas das janelas dos prédios.

 

Continuar a ler
Home
Elétrico, radical e inovador, conhece este fantástico triciclo
Preço de gasóleo e gasolina volta a descer amanhã
E-bike analisa o nível de poluição no ar enquanto pedalas