Mobilidade

Carros elétricos usados: devo comprar um? O que ter em atenção?

Lê aqui algumas dicas para poderes ponderar a decisão de comprar ou não um veículo elétrico em segunda mão
Carros elétricos usados, bom negócio?
Carros elétricos usados, bom negócio?

Os veículos elétricos estão a crescer em popularidade e a verdade é que começa a ser possível encontrar em stands de referência e sites especializados algumas ofertas até mesmo usados, ou vulgarmente designados em segunda mão.

Mas será que são uma boa opção? E em relação aos carros usados a gasolina ou gasóleo, qual escolher?

Vamos tentar responder a estas questões.

Antes de mais há uma primeira certeza que tens de ter. Se pretendes apostar em um carro usado, as tuas expetativas podem (e devem) ser altas, mas, se vais comprar usado, não podes comparar com novo. Ou podes?

Talvez seja bom começar por aí. Se procuras um carro utilitário mais “barato”, mas novo, podes ponderar se não te fará mais sentido comprar um bom veículo gama média-alta usado (ou até semi-novo) que até poderás encontrá-lo pelo mesmo preço. Antes de decidir tens que pensar qual é o orçamento e que tipo de veículo (espaço, conforto, prestações, qualidade, economia, etc, etc) que melhor te serve.

Posto isto, vem a questão!

Decides optar por um veículo usado, podes equacionar um automóvel elétrico?

A resposta não é fácil, mas primeiro a componente prática. Um carro a combustão gasolina ou Diesel é algo a que provavelmente já estás habituado. Sabes que podes abastecer em qualquer lado e sabes que qualquer oficina consegue resolver a maioria dos problemas. Mas há uma questão. E se quiseres dar o passo na transição energética? 

É aqui que surge a opção. Um automóvel elétrico obriga-te a alterar hábitos. Logo o primeiro hábito: parar na estação de combustível. É que nem todas as estações tem pontos de carregamento, mas, a boa notícia é que há cada vez mais pontos de carregamento, incluindo em grandes superfícies comerciais.

Solucionado? Não. É outra questão que tens de pensar. Tens, em casa, no teu emprego, ou na zona onde resides, facilidade de carregar o carro elétrico?

Faz este exercício. Durante uma semana passa junto ao ponto de carregamento elétrico mais perto da tua casa, de manhã antes de saíres para o emprego e à tarde quando regressares. Agora, verifica quantas vezes o encontraste disponível. Tens a tua primeira questão para pensar.

Claro que se viveres numa moradia ou garagem com box própria esta é uma questão secundária, pois tens carregadores já por preços muito acessíveis (a partir de 350 euros).

Alguns utilizadores mais habituados aos carros elétricos vão dizer-te que isto já nem é uma questão e que as autonomias são agora maiores. Mas… o facto é que um dia poderás precisar de ter carga completa na bateria e pode não ser fácil encontrar local para o fazer de forma expedita.

Depois, vem outra questão. Já sabes que podes carregar o teu carro quando queres, sabes que até há um ponto de carregamento elétrico superrápido não muito longe, mas… sabes mesmo quantos quilómetros fazes por dia?

Para teu “primeiro” elétrico esta é uma questão importante. Se fazes mais de 60 ou 70 quilómetros por dia deves ponderar muito bem se queres mesmo um veículo 100% elétrico. Sim, há carros que já fazem 600 quilómetros com uma carga (e também custam em função disso). Mas… fazem à velocidade que precisas? E carregam em todo o lado para te permitir fazer mais 600? A verdade é que não. No mínimo quinze minutos a meia hora tens sempre de contar e não é para carregar todo. Mas, por outro lado… precisas mesmo de ter autonomia para tanto? Se calhar até te chega um carro elétrico com autonomia para 200 quilómetros! Confuso?

O ideal é uma vez mais tirares notas mentais da tua vida mensal. Quantos quilómetros fazes, que tipo de deslocações e onde estacionas o teu carro? Agora imagina que é um carro elétrico. Tranquilo? Segue em frente!

Com estas duas questões resolvidas, vamos decidir. Comprar ou não usado?

Antes de mais convém ter alguma referência sobre o vendedor. Não quero dizer que as pessoas singulares que tentam vender o seu elétrico são desonestas, mas… se calhar, o ideal será procurar um local que te dê garantia da compra. Isto porque um carro elétrico não dá para levar à garagem do amigo “ToZé” para ver se o motor está bom... Mas, uma vez mais, tranquilo, os bons concessionários ou stands de usados são capazes de fornecer garantia, só tens que ter cuidado com eventuais asteriscos. Mas tudo isto também é válido para um vulgar carro a combustão, seja novo ou usado!

Então e quais os conselhos a reter para comprar um carro elétrico?

Depois de teres assegurado resposta positiva às questões acima, deixamos aqui, basicamente cinco:

  • A bateria ainda está na garantia? Há construtores que dão até 10 anos!
  • Questiona se a bateria já foi trocada. E já agora pensa se os quilómetros que estão indicados fazem sentido.
  • Manutenção, onde foi realizada e periodicidade? Num concessionário oficial há um histórico de eventuais problemas.
  • Pede para ver, se possível, o relatório do último carregamento (tempo que demorou e qual a carga com que ficou).
  • Negoceia. O facto de o proprietário saber que a bateria tem uma estimativa de longevidade pode ser usado a teu favor.


Por fim uma última dica. Antes de equacionares um veículo elétrico usado procura saber se não está ainda disponível os incentivos governamentais. Pode ser um “boost” importante no teu orçamento e quem sabe… compras um novo.

 

Continuar a ler
Home
Combustíveis: gasóleo vai finalmente descer na próxima segunda-feira
Supervan desportiva de entregas rápidas com 1.470 kW
Carros elétricos usados. Uma boa opção? O que ter em conta?