Mobilidade

Mobilidade mais inclusiva com sistemas de partilha inteligentes é nova aposta da Volkswagen

Objetivo é criar uma solução de veículo autónomo partilhado que possa ser utilizado por pessoas com algum tipo de limitação física
ID. Buzz para quem tem mobilidade reduzida
ID. Buzz para quem tem mobilidade reduzida

A vontade de que a mobilidade seja adaptada também a quem tem limitações físicas está longe de ser algo de agora para a Volkswagen. Ao longo dos anos, a marca alemã tem desenvolvido vários projetos que procuram dar resposta a uma das maiores dificuldades do mundo automóvel: como se pode criar um veículo que possa ser usado por qualquer pessoa.

À medida que os carros elétricos fazem cada vez mais parte do nosso presente e que os carros autónomos começam a surgir nas estradas, a Volkswagen está focada em desenhar um veículo autónomo (VA) partilhado, para boleias, que dê para qualquer pessoa utilizar. A vontade é grande, mas criar uma solução de mobilidade transversal a todas as necessidades é um processo moroso, com desafios complexos.

“Estamos focados em trazer recursos de acessibilidade para os veículos autónomos que são desenhados para serem usados em serviços de partilha de boleia”, começa por explicar Chrisian Lorenz, diretor sénior de cockpit e corpo inteligentes da Volkswagen americana. “Estes veículos exigem um conceito de interior fundamentalmente diferente dos carros que são vendidos para uso individual”, remata.

A Volkswagen, em parceria com a Argo AI, está a desenvolver um projeto piloto de veículos autónomos de partilha, na Alemanha, que já conta com o microautocarro da marca, o ID. Buzz. E, à medida que o projeto ganha novas dimensões e prepara-se para ir para os Estados Unidos, começa a surgir a ideia de introduzir elementos que tornem a partilha de carro viável para qualquer pessoa.

Em cima da mesa, está, por exemplo, o plano de criar rampas e sistemas de fixação para cadeiras de rodas. No entanto, o projeto não é simples, uma vez que não há um standard universal de medidas para as cadeiras de rodas. Dessa forma, torna-se quase impossível criar um sistema de fixação que funcione.

Onde a Volkswagen tem conseguido maiores progressos é no desenvolvimento de uma interface para VA que sirva de apoio a quem tem dificuldades visuais ou auditivas. Uma solução já criada é a instalação de altifalantes e microfones no exterior do veículo que possam auxiliar os utilizadores e entrar e a sair do VA partilhado, especialmente quando este não tem mais ninguém para dar apoio.

O design dos bancos tem também prendido a atenção da marca alemã que acredita ser possível redesenhá-los de forma a dar resposta a necessidades variadas sem colocar em causa as leis de segurança americanas. Se os bancos pudessem rodar de forma a que as pessoas ficassem frente a frente, isso facilitaria a comunicação de quem se exprime por linguagem gestual.

Shani Jayant, investigadora de user experience e gestora de design na Volkswagen, acredita que há uma oportunidade de redesenhar a mobilidade graças a todas as tecnologias que têm sido desenvolvidas nos últimos anos.

No nosso trabalho, focamo-nos naqueles grupos de pessoas que, tradicionalmente, são mal servidas nos espaços da mobilidade”, sublinha Shani Jayant.

Continuar a ler
Home
Preço dos combustíveis para a próxima semana: A previsão da AWAY
Garrafas de plástico reciclado vão ser utilizadas na construção de pneus