Energia

Membros da Agência Internacional de Energia vão libertar reservas de petróleo

Guerra na Ucrânia obriga países da AIE a recorrer às suas reservas para aumentar oferta de petróleo
Bomba de exploração de petróleo (Foto: JC Chong/AP)
Bomba de exploração de petróleo (Foto: JC Chong/AP)

Os membros da Agência Internacional de Energia (AIE) decidiram na sexta-feira, dia 01 de abril, libertar mais petróleo das suas reservas estratégicas para combater a volatilidade de preços causada pela guerra na Ucrânia, mas o volume a lançar no mercado será divulgado apenas "no início da próxima semana".

Os ministros destacaram que a guerra na Ucrânia "continuar a causar uma tensão significativa nos mercados petrolíferos, o que gera um aumento da volatilidade dos preços" enquanto as reservas estão "no seu nível mais baixo desde 2014", segundo o comunicado.

No mês passado, os países da AIE já tinham prometido lançar no mercado cerca de 62,7 milhões de barris das suas reservas, sublinhando que poderiam ir mais longe. Os membros da AIE, que reúne 31 países, incluindo Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Itália, Portugal e Reino Unido, têm, no total, reservas de 1,5 biliões de barris.

A invasão russa da Ucrânia provocou um forte aumento do preço do petróleo, quando os países produtores continuam a restringir a sua oferta.

Os membros da OPEP+ (aliança constituída pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e 10 outros produtores, incluindo a Rússia) têm recusado até agora aumentar significativamente a produção para aliviar o mercado, limitando-se a uma subida gradual de 400.000 barris por dia todos os meses.

Continuar a ler
Home
PIng-pong nos combustíveis. Gasolina sobe, gasóleo desce. A nossa previsão
7 conselhos para te protegeres do calor extremo
Há 41 novos radares à tua espera em Lisboa. Descobre onde