Sustentabilidade

123 mil euros para viajar no espaço em cápsula com balão a hidrogénio verde

Vista panorâmica em 360˚ e interior luxuoso. A Spacechip Netpune foi pensada para ser a derradeira experiência espacial
Texto

A primeira viagem ao espaço feita por um português, Mário Ferreira, deu visibilidade a uma atividade que tem cada vez mais intervenientes e mais oferta – o turismo espacial. Uma das propostas mais recentes e surpreendentes neste domínio é a cápsula Spacechip Netpune que, em vez de potentes propulsores, usa um balão para entrar em órbita. Além disso, é movida a hidrogénio verde. 

Acabou de ser apresentada e já está em produção a cápsula criada pela empresa Space Perspective que pretende dar ao conceito de turismo espacial uma nova dimensão. Desde logo pelo seu surpreendente design e configuração interior e depois pela forma como foi concebida para se elevar e aterrar no regresso à terra.

A Spacechip Netpune é uma cápsula esférica, com uma zona inferior cónica, assim desenhada para assegurar uma aterragem suave e segura no oceano, após a viagem programada de seis hora pelo espaço. Uma das suas características mais distintivas é a paisagem panorâmica em 360˚ proporcionada pela enorme superfície em vidro que simula a configuração do capacete de um astronauta.

O interior é luxuoso e foi concebido para assegurar espaço amplo e liberdade de movimentos para até oito turistas espaciais e um piloto profissional. A cabine pressurizada com sistema de climatização assegura o máximo conforto ao manter a temperatura estável, apesar das enormes variações a que a superfície exterior da cápsula está sujeita, assegura a Space Perspective.

As cadeiras são verdadeiras poltronas, há luz ambiente e a decoração é pontuada por plantas e ervas aromáticas como manjericão e alecrim que podem ser usadas na preparação de comidas e bebidas. Sim, porque o interior da Spacechip Netpune contempla até um bar, para que nada falte a quem esteja disposto a pagar mais de 123 mil euros para ver a Terra a partir do espaço.

Quanto à componente de engenharia, a Space Perspective garante que a Spacechip Netpune foi desenvolvida para ser a nave espacial mais sustentável e mais segura no planeta Terra ou fora dele. Uma das características que a torna diferente das demais é o facto de a cápsula onde se encontram os passageiros não se separar do mecanismo de propulsão a meio do voo.

A impulsão de todo o conjunto para a órbita terrestre é assegurada pelo SpaceBalloon, o qual está permanentemente acoplado à cápsula, até mesmo no percurso de regresso à terra. Trata-se de um balão de grandes dimensões, alimentado por hidrogénio obtido a partir de fontes renováveis e por isso não emite CO2.

A Space Perspective tem vindo a desenvolver um intensivo programa de testes com a colaboração da Siemens e anuncia que os voos vão ter início no final de 2024.

(Fotos: divulgação)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
TAP encomenda dezenas de BMW enquanto recebe dinheiro do estado
Benfica vs PSG condiciona trânsito em Lisboa. Vê aqui tudo
Comboio de alta velocidade a hidrogénio arranca em Espanha em 2023