Mobilidade

Carregamento por indução de veículos elétricos ganha impulso em Itália

Projeto Arena del Futuro, da Stellantis, mostra viabilidade de carregar elétrico quando este circula a velocidades elevadas

O carregamento de veículos elétricos por indução, em que, tal como acontece com os telemóveis, não são necessários quaisquer cabos, é uma tecnologia que tem vindo a conhecer avanços interessantes nos últimos tempos, demonstrando que pode vir a ser uma realidade nas estradas públicas mais cedo do que se imagina.

Um dos projetos mais recentes – Arena del Futuro – foi desenvolvido pelo grupo automóvel Stellantis, em colaboração com uma série de parceiros como as empresas A35 Brebemi, ABB e Mapei, e até as universidades de Roma e Parma. Agora, conseguiram demonstrar, em Chiari, Itália, a viabilidade de carregar um veículo elétrico quando este está em andamento, sem ser necessário estar conectado a um carregador dito tradicional.

Arena del Futuro trata-se de um circuito construído especificamente para testar a transferência dinâmica de energia sem fios (DWPT, na sigla em inglês), no qual foram conduzidos testes com o novo Fiat 500 durante vários meses, e que, segundo a Stellantis, vem demonstrar que é possível carregar um veículo elétrico quando este viaja a velocidades típicas de autoestrada.

Em concreto, DWPT é um sistema de bobinas posicionado sob o asfalto que transfere energia diretamente para veículos elétricos ligeiros e pesados, eliminando assim a necessidade de o condutor parar nas estações de carregamento para recarregar a bateria.

Esta inovadora tecnologia pode ser adaptada a todos os veículos equipados com um recetor especial, que transfere a energia proveniente da infraestrutura rodoviária diretamente para o motor elétrico. Desta forma é possível estender a autonomia e, em simultâneo, conservar a carga existente na bateria do veículo.~

Na Arena del Futuro, os testes efetuados com um novo Fiat 500 especialmente equipado, comprovaram que a eficiência do fluxo de energia do asfalto para o carro é comparável à eficiência das estações de carregamento rápido, para além de que as medições da intensidade do campo magnético atestaram que não há impacto sobre o condutor e os passageiros.

No circuito especial de testes, o sistema DWPT foi implementado com recurso às tecnologias 5G e pela IoT (Internet of Things) e a soluções de aplicação baseadas em Inteligência Artificial, as quais facilitam a troca de informação entre o veículo e a plataforma de gestão do sistema.

A tecnologia DWPT tem despertado o interesse da indústria automóvel e das infraestruturas, também pelo facto de poder ser implementada na versão dinâmica ou na versão estática. Significa que pode estar disponível em autoestradas, para carregamento de veículos elétricos em andamento, mas pode igualmente ser aplicada em parques de estacionamento.

Continuar a ler
Home
Ebook ou livro em papel? Sabes qual é a opção mais sustentável?
Preço do gasóleo já desceu a 1,639 euros/litro. Vê aqui onde é mais barato
Elétrico, radical e inovador, conhece este fantástico triciclo