Sustentabilidade

Ilha da Madeira vai ter uma nova central de armazenamento de energia com baterias

O projeto vai permitir à ilha reduzir o consumo de combustíveis fósseis e ganhar maior independência energética, sem prejuízo da estabilidade da rede elétrica
Ilha da Madeira com central de armazenamento de energia
Ilha da Madeira com central de armazenamento de energia
PUB

A ilha da Madeira vai passar a contar com uma nova central de armazenamento de energia elétrica com baterias, após a adjudicação do projeto por parte da Empresa de Electricidade da Madeira (EEM) a um consórcio constituído pelas empresas Siemens e Fluence.

Com o novo sistema de armazenamento de energia, que ficará localizado ao lado da Central Termoelétrica da Vitória e que deverá começar a operar no segundo trimestre de 2022, a EEM tem reunidas as condições para que a quota de renováveis na sua oferta energética aumente para cerca de 50%. Desta forma, a ilha da Madeira poderá ver reduzido o seu consumo de combustíveis fósseis ao longo dos próximos dois a três anos, enquanto ganha maior independência energética, sem que tal afete a qualidade da energia ou a estabilidade da rede elétrica.

PUB
Central de Baterias para armazenamento de energia na Madeira (infografia: Siemens)
PUB

Com a inclusão de fontes de energia mais diversificadas, a central de armazenamento com baterias integrada num conceito de microrrede permite à ilha diminuir a sua pegada de carbono e, assim, caminhar no sentido de garantir uma maior sustentabilidade ambiental. Em paralelo, o novo sistema assegura altos padrões de fiabilidade e disponibilidade na distribuição de energia, com a vantagem de uma parte da rede de 60 kV permitir a restauração dos serviços de rede em caso de uma falha (processo designado como blackstart).

PUB

Com a implementação desta central pretendemos reduzir o número de geradores térmicos que dependem de combustíveis fósseis e aumentar a penetração de fontes de energia renováveis sem correr o risco de apagões, e ao mesmo tempo garantir uma regulação ótima da frequência do sistema elétrico da Madeira”, afirmou Francisco Taboada, Presidente do Conselho de Administração da EEM. “Assim que entrar em serviço, esta central terá um papel extremamente importante como reserva energética rápida para fazer face a variações repentinas quer na produção, quer na carga” - concluiu em comunicado de imprensa.

A nova central de armazenamento será composta por baterias com capacidade de 22,5 MVA/ 15,6 MWh, com tecnologia fornecida pela Fluence, empresa que resulta de uma joint venture entre a Siemens e a AES. Para além da implementação da central, o consórcio ficará responsável pela manutenção dos respetivos equipamentos e sistemas durante os próximos 10 anos.

(Fotos: Colin Watts / Unsplash, Video e infografia: Divulgação / Siemens)

PUB
Continuar a ler
Home
Fantástico
Vídeo: O Renault 4L do futuro é elétrico e voa!
Away
Biocombustíveis: depois do milho e girassol, agora os insetos
Energia
Gasolina desce e gasóleo sobe, na próxima semana