Sustentabilidade

Sistema com inteligência artificial ajuda a controlar ruído ambiental

Empresa do Grupo ISQ criou solução que ajuda entidades a monitorizar e gerir barulho que as suas atividades produzem
Texto
Inteligência artificial ajuda a controlar ruído (Foto: Chairulfajar/Unsplash)
Inteligência artificial ajuda a controlar ruído (Foto: Chairulfajar/Unsplash)

Quando se fala nos riscos ambientais para a saúde humana, há dois principais fatores a ter em consideração. O primeiro é a poluição atmosférica e o segundo o ruído ambiental. Com o objetivo de ajudar a diminuir este último, a DBWave, uma empresa do Grupo ISQ, desenvolveu uma solução com inteligência artificial.

Nos últimos tempos, a União Europeia, governos e organizações internacionais têm criado metas regras e sanções para diminuir os níveis de poluição sonora. Isto está a colocar mais pressão em entidades cujas operações implicam maior nível de ruído, como infraestruturas de transportes, produção e distribuição de energia ou atividades de diversão e lazer.

Par ajudar a identificar os níveis de som e fazer uma melhor gestão, de forma a cumprir as metas de cada país, a DBWave criou o sistema de Monitorização Inteligente de Ruído Ambiental (MIRA) que tem a capacidade de detetar e classificar os diferentes tipos de ruídos, ao mesmo tempo que alerta e dá informação para que possam ser tomadas decisões.

Esta proposta, que tem por base a inteligência artificial, é constituída por sonómetros e sensores que comunicam com uma plataforma de gestão, processamento e análise de dados, que depois classifica e distingue tipos de sons e eventos sonoros.

A solução foi pensada para os mais variados setores, da indústria a operadores de transportes, passando por municípios e entidades públicas e privadas.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Comboio de alta velocidade a hidrogénio arranca em Espanha em 2023
Recorda aqui algumas dicas para te protegeres das poeiras que estão no ar
Governo reduz apoio do ISP: Os combustíveis estão mais caros hoje