Sustentabilidade

O ar que respiramos em todo o mundo está cada vez mais poluído

Novo estudo mostra que são poucos os cantos do mundo onde é possível respirar ar com níveis seguros de poluição
Texto
Poluição do ar (foto: Ebrahim Noroozi/AP)
Poluição do ar (foto: Ebrahim Noroozi/AP)

Não há praticamente nenhum sítio no planeta onde não haja poluição no ar e apenas 0,001% da população vive com níveis de poluição considerados seguros pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Esta é a conclusão de um novo estudo que analisou as partículas no ar em todo o mundo.

Realizado por uma equipa de cientistas da Monash University, em Melbourna, na Austrália, este estudo recolheu dados sobre a qualidade do ar e analisou as concentrações globais de PM2.5, partículas microscópicas nocivas para o ambiente e para a saúde humana.

Apenas 0,001% das pessoas e 0,18% da superfície terrestre estão sujeitas a níveis de poluição considerados seguros, salienta o estudo.

Tendo recolhido dados nos últimos 20 anos, os cientistas concluíram que na Europa e na América do Norte houve uma redução no número de partículas e que na Ásia, Austrália, Nova Zelândia, América Latina e Caraíbas houve uma subida.

Poluição - AWAY
Níveis de partículas no ar são preocupantes (foto: Armin Durgut/AP)

Ainda assim, quando se olha para os dados de 2019, mais de 70% dos dias ficaram marcados por concentrações de poluição prejudiciais para as pessoas.

Globalmente, a média anual de PM2.5 de 2000 a 2019 foi de 32,8 µg/m3, um valor bastante superior ao considerado seguro pela OMS (5 µg/m3 por ano).

O estudo também permitiu auferir que os níveis de poluição acabam por seguir padrões sazonais. Na China e na Índia, os valores sobem nos meses de inverno (dezembro, janeiro e fevereiro), e na América do Norte o mesmo acontece nos meses de verão (junho, julho e agosto).

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Vais para o Algarve? Vê se a tua praia perdeu o selo de 'Qualidade de Ouro'
Radares da PSP: é aqui que vão estar na semana de 20 a 26 de maio
5 dicas para usares tecnologia de forma ambientalmente responsável