Sustentabilidade

Estão os consumidores a mudar hábitos alimentares por razões ambientais?

Mais de 25 mil consumidores europeus responderam a inquérito e revelaram as suas preocupações
Texto
2022_pesca_quang_nguyen_pexels
2022_pesca_quang_nguyen_pexels

Para celebrar o Dia Nacional do Mar que ocorre hoje, dia 16 de novembro, o Marine Stewardship Council (MSC), realizou um conjunto de ações e revelou dados de um estudo que revela que os consumidores portugueses estão a alterar os seus hábitos alimentares por razões ambientais.

A divulgação deste estudo ocorreu à margem da 2ª Semana Mar Para Sempre, iniciativa organizada pelo MSC que decorre entre 14 e 20 de novembro e que se centrou na análise do “Panorama do Pescado Sustentável Certificado em Portugal”.

barco de pesca - AWAY
Barco de pesca (foto: Agustin Pinero/Pexels)

O MSC é uma organização não governamental sem fins lucrativos que através de um programa de certificação atribui, de forma independente, um selo azul, que reconhece e distingue práticas de pesca sustentável, ou seja, selvagem e não de aquacultura.

Em Portugal está a ser desenvolvido um trabalho para a certificação azul para a sardinha portuguesa, para o atum dos Açores e mais recentemente está igualmente a ser vista a possibilidade de certificação da cavala portuguesa.

sardinha - AWAY
Sardinha portuguesa aguarda pela certificação MSC (foto: Energicpic/Pexels)

As principais preocupações reveladas no estudo

O MSC revelou, em conferência de imprensa, na passada 2.ª feira, os dados do estudo realizado pela consultora independente GlobeScan, realizado em 23 países.

Este estudo envolveu mais de 25 mil consumidores e revelou que 44% das pessoas afirmam ter mudado a sua alimentação nos últimos dois anos por motivos ambientais. Em concreto 23% revelaram que estão a comer alimentos de fontes mais sustentáveis, 20% revelaram que pretendem reduzir o impacto das alterações climáticas e 12% afirmaram que mudaram hábitos para proteger o oceano.

Em Portugal, o estudo demonstrou que 97% dos consumidores estão preocupados com os oceanos e divididos no que significa ser positivo ou negativo, mas 73% assumiram que a escolha do pescado pode ajudar a fazer a diferença na saúde dos oceanos.

82% defenderam ainda que os princípios de sustentabilidade devem ser certificados por entidades independentes.

semana mar para sempre - AWAY
O MSC organizou uma mesa redonda para debater o pescado sustentável (foto: divulgação)

A atividade do MSC

A Semana Mar Para Sempre foi criada com o objetivo de sensibilizar os consumidores, a indústria da pesca e entidades públicas para a importância da adoção da pesca sustentável e conta com o apoio institucional de entidades como Associação da Indústria Alimentar pelo Frio (ALIF), Associação Nacional dos Industriais de Conservas de Peixe (ANICP), BlueBio Alliance, Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), DECO Proteste, Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) e UN Global Compact Network Portugal.

Ainda para o desenvolvimento desta campanha, o MSC conta com o apoio e participação ativa dos parceiros com os quais trabalha em Portugal, nomeadamente, Aldi, Lidl, Continente, Brasmar, Cofaco, Cofisa, A Poveira, Gelpeixe, Grupeixe, Iglo, Lugrade, Ramirez, Riberalves, Rui Costa e Sousa & Irmão, e Soguima.

Sob o mote #JuntosNoMesmoBarco, o MSC vai desenvolver uma campanha de sensibilização, que estará patente nas redes sociais, meios de comunicação social e superfícies comerciais dos seus parceiros em Portugal, onde se pretende dar visibilidade ao selo azul que atesta os produtos provenientes da pesca sustentável, de forma a que seja amplamente reconhecido pelos consumidores.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Sabias que 1 em cada 4 EV utilizam baterias da Coreia do Sul?
Preço da gasolina e do gasóleo desce na próxima segunda-feira. Vê aqui
Autocarro português a hidrogénio está a chegar à Europa