Sustentabilidade

Plástico dos oceanos está a ser transformado em peças para automóvel

O novo Ford Bronco tem suporte de cablagens feitos com plástico 100% reciclado a partir de redes usadas e perdidas nos oceanos
Ford cria peças com plástico dos oceanos
Ford cria peças com plástico dos oceanos
PUB

A quantidade de plástico que anda pelos oceanos é de tal forma elevada que até já nos habituámos a encontrar diversos produtos produzidos com plástico 100% reciclado desta mesma fonte. Mas agora, a Ford torna as coisas ainda mais sérias e passa a integrar este tipo de material na produção em série da nova geração do seu Bronco.

Por enquanto, trata-se apenas de um suporte de cablagens, o que poderá não parecer muito. No entanto. este é apenas o primeiro passo de diversos que a marca pretende dar nos próximos tempos. Além disso, a utilização deste tipo de solução não só promove uma vida mais saudável nos oceanos, como também reduz os resíduos que acabam por ir parar a aterros sanitários, sendo que ainda tem a vantagem de ter um custo de produção mais reduzido face ao plástico convencional produzido à base de petróleo.

PUB

O plástico utilizado para a produção destes componentes é extraído essencialmente do oceano Índico, na zona do Mar Arábico e deriva sobretudo de redes de pesca que são atiradas ao mar. A sua extração, além de ser mais barata do que a produção de uma peça nova e das vantagens óbvias de limpeza dos oceanos, tem ainda a vantagem de proporcionar mais empregos.

PUB
PUB

Depois da recolha das redes de pesca produzidas em nylon, o plástico é lavado para eliminar a presença de água salgada e transformado em pequenas peças plásticas (pellets) que podem então ser injetadas em moldes com o formato desejado. Segundo a Ford, apesar do tempo que este material já pode ter passado em água salgada ou exposto ao sol, a sua resistência é tão forte e durável como as peças produzidas em plástico à base de petróleo.

Além destes suportes de cabos, a Ford já se encontra a ponderar a utilização desta mesma solução na produção de suportes de transmissão, calhas longitudinais do piso do habitáculo e proteções de cablagens. Os clips que começam agora a ser utilizados no Ford Bronco, que por enquanto não está disponível em Portugal, pesam cerca de cinco gramas cada e destinam-se a suster os cabos que estão ligados aos airbags de cortina laterais.

Continuar a ler
Home
Dias negros para quem precisa de abastecer. Combustíveis vão subir
Inspeção às motas à espera do novo governo
Devo comprar um carro elétrico? Prós e contras!