Sustentabilidade

Fiat mostra-nos uma árvore que simboliza o seu futuro

A marca italiana apresentou uma nova forma de vivermos a sua magia e o seu Fiat 500, com base no topo da antiga fábrica no Lingotto
Fiat Casa 500
Fiat Casa 500
PUB

A cidade de Turim estará sempre ligada à Fiat, uma vez que foi aqui que nasceu esta que é uma das marcas de automóveis mais famosa do planeta. E o prédio do Lingotto será sempre uma das suas moradas mais conhecidas, por ter sido a primeira fábrica e o mítico local onde esta história começou.

Ainda que tenha permanecido mais ou menos escondido da maioria dos olhares durante diversos anos, a pista de testes do último piso é um local mágico e com uma aura incrível que não é fácil de descrever, mas a partir de agora, todos poderão sentir esta mesma magia, uma vez que o último andar do prédio do Lingotto vai passar a estar aberto a todos aqueles que o queiram visitar.

PUB

Tudo faz parte de um projeto de rejuvenescimento que a marca apresentou há dias, numa estrutura muito original e como também quase só a FIAT sabe fazer. Usando uma árvore, a marca mostrou-nos os seus três novos projetos, usando as raízes, as folhas e um fruto para melhor os descrever.

PUB

Primeiro, as raízes. As raízes desta árvore simbolizam a história desta marca italiana e as suas próprias raízes, que agora podem ser visitas na recém-inaugurada Casa 500. É uma espécie de museu automóvel, relacionado com a história de um dos modelos mais conhecidos da marca e de como este sempre esteve relacionado com a cidade de Turim e com a cultura italiana.

PUB

A Casa 500 é uma carta de amor italiana a um dos automóveis mais icónicos do planeta, ao longo das suas três gerações e que também nos mostra como este modelo se prepara para um futuro cada vez mais próximo. A exposição de oito áreas, divididas por cerca de 700 metros quadrados faz parte da Pinacoteca Agnelli, situada no topo do edifício.

Depois das raízes segue-se a folhagem da árvore, que se traduz na transformação da pista de testes existente no topo do prédio do Lingotto naquele que passou a ser o maior jardim europeu longe do piso, com mais de 40 mil plantas.

Estas foram escolhidas meticulosamente e têm a capacidade de absorver CO2, melhorando o ar que se respira na antiga pista de testes, que agora está apenas restringida a veículos elétricos. Neste espaço, há também zonas didáticas e outras mais vocacionadas para um momento relaxante ao ar livre, perfeito para meditar, ler um livro ou apenas passear. É que a partir de agora, todos os podem fazer, uma vez que o topo do prédio do Lingotto deixa de ter um acesso reservado e passa a estar aberto a todos os que o queiram visitar.

PUB

Finalmente, falta apenas falar na parte do fruto desta mesma hipotética árvore apresentada pela Fiat e o primeiro de todos é a nova versão do icónico 500. Trata-se da primeira opção da gama a receber o tom vermelho, que faz parte de todos os produtos que já conhecemos da marca (RED).

O novo Fiat 500 (RED) é o primeiro automóvel a receber este logo, uma vez que se trata de uma aposta perfeita para a missão da (RED), que é estar na linha da frente contra as batalhas mais duras que vão surgindo no planeta. Começou por estar associada ao combate da doença do vírus HIV ou SIDA e está agora também em batalhas mais ligadas ao COVID-19.

Além de tudo isto, o tom vermelho fica também associado ao dinamismo de quem deseja acelerar para efetuar mudanças, com energia, com garra e com diversos detalhes que podemos descobrir nesta nova versão e que os italianos sabem criar tão bem.

Continuar a ler
Home
Fantástico
Vídeo: Back to the future com Porsche Taycan e DeLorean
Mobilidade
Vídeo: Famel regressa com mota elétrica
Sustentabilidade
Google Maps irá indicar rotas amigas do ambiente para evitar emissões de CO2