Sustentabilidade

ONU alerta para crise de alimentos e energia por causa de guerra na Ucrânia

António Guterres lembrou o impacto que a guerra irá ter no mundo inteiro e pediu que haja colaboração global
Texto
Mundo enfrenta crise
Mundo enfrenta crise

O impacto que a invasão russa está a ter nos mercados globais de energia, alimentos e fertilizantes faz com que a guerra seja uma crise global e não apenas um problema local. A premissa foi defendida por António Guterres, secretário-geral da ONU, que não deixou de salientar que este novo momento na história representa riscos para todos os países, especialmente para os em desenvolvimento.

António Guterres alertou ainda que neste momento, a prioridade deve ser apoiar o povo ucraniano, mas sem nunca esquecer as pessoas e países que estão mais vulneráveis.

António Guterres, secretário-geral da ONU (AP/Richard Drew)

O discurso foi feito esta quarta-feira, dia 23 de março, numa reunião de uma equipa de crise criada pela ONU para orientar a resposta global à guerra na Ucrânia. Estiveram presentes líderes das principais agências e organismos da ONU.

Nenhum país se pode isolar de um colapso do sistema económico global, do efeito dominó do açambarcamento de alimentos ou combustíveis, ou do impacto a longo prazo do aumento da pobreza e da fome”, alertou o secretário-geral da ONU.

O secretário-geral da ONU fez questão de lembrar que o mundo tem alimentos, energia e financiamento suficiente para todos os países ultrapassarem a crise, mas problemas de distribuição e logística, assim como desigualdade, fazem com que os bens não cheguem a todo o lado.

Por isso, defendeu que é essencial evitar o açambarcamento e a especulação, ao mesmo tempo que se apostam em reformas que permitam aos países mais pobres comprar bens essenciais.

Temos de reunir países desenvolvidos e em desenvolvimento para encontrar soluções globais”, defendeu António Guterres, citado pela Lusa.

Reservatório russo de petróleo (AP/Misha Japaridze)

A Rússia e a Ucrânia são dois dos maiores produtores mundiais de cereais e fertilizantes, e a Rússia é também um dos principais exportadores mundiais de gás e petróleo.

Com a escalada dos conflitos e sanções, tem-se verificado um aumento em flecha do preço da energia e dos combustíveis e os constantes alertas para a possível falta de alguns alimentos e subida dos preços.

A ONU tem alertado para os impactos da guerra em muitos países do mundo, especialmente os mais pobres que ainda não recuperaram do impacto económico da pandemia da covid-19.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Governo recomenda baixar a velocidade máxima para os 100 km/h
Comboio de alta velocidade Porto-Lisboa poderá ser uma realidade dentro de uma década
Itália tem primeira residência para estudantes alimentada a hidrogénio