Sustentabilidade

Jovens portugueses são adeptos da economia circular, mas a maioria ainda prefere artigos novos

Conclusões de um estudo europeu indicam que entre os jovens portugueses há uma elevada consciência ambiental, mas também uma apetência para o consumo
Jovens e a economia circular
Jovens e a economia circular
PUB

A economia circular é um conceito importante para uma significativa fatia dos jovens europeus, embora as suas opiniões apresentem alguma incoerência quando a maioria afirma que prefere comprar produtos novos, em vez de os adquirir em segunda mão.

As conclusões são do estudo “Ser jovem hoje: que caminhos para a independência”, encomendado pela Cetelem, especialista em crédito ao consumo do Grupo BNP Paribas, para o qual foram entrevistadas 4988 pessoas entre os 18 e os 30 anos de idade, de seis países europeus – Portugal, Bélgica, Itália, Reino Unido, República Checa e Roménia.

PUB

Entre os jovens inquiridos, 35 por cento consideram importante a economia circular, sendo que o valor sobe para os 37 por cento se apenas considerados os portugueses. Entre estes, o tema assume especial relevo para os que ainda vivem com os pais (41%) e para os que têm estudos superiores (41%).

PUB

Os jovens romenos demonstram igual nível de interesse pela temática (37%), sendo apenas superados pelos italianos (38%). Na ponta oposta, ou seja, os jovens para quem a economia circular é menos relevante, estão os belgas (30%) e os ingleses (31%).

PUB

Contudo, o estudo revela alguns paradoxos nas opiniões proferidas que valem a pena analisar. Se por um lado indica que entre os jovens portugueses há uma elevada consciência ambiental, com 93 por cento a revelarem ser adeptos da redução do desperdício e 97 por cento a mostrarem preocupação para com as questões ambientais, por outro, há 78 por cento a admitir que seria mais consumista caso tivesse maior disponibilidade financeira.

A incoerência de opinião mantém-se quando questionados sobre se preferem comprar produtos novos ou usados. A maioria dos jovens portugueses confessa preferir um artigo novo, com exceção do automóvel. Neste caso, há 67 por cento a preferir um usado. Um valor bem acima dos 59 por cento registados entre os restantes jovens europeus inquiridos.

Todos os anos produzem-se 2,5 mil milhões de toneladas de lixo na União Europeia (UE). A UE encontra-se atualmente a atualizar a sua legislação relativa à gestão de resíduos para promover a mudança de uma economia linear para uma economia circular.

PUB

(Fotos: E. Ekseth, J. Power, M. Askew e R. Gonzalez/Unsplash)

Continuar a ler
Home
Cidades
Novas cidades no mundo fazem disparar investimentos
Mobilidade
Veículo elétrico: Stress ou anti-stress?
Evasão
Sugestão de viagem: os 10 castelos mais visitados