Sustentabilidade

Projeto conjunto com Espanha quer consolidar o abutre-preto em Portugal

Objetivo é duplicar a população existente de uma espécie que durante quase 40 anos esteve extinta no nosso país
Texto
Abutre-preto (Foto: Bruno Berthemy/ Vulture Conservation Foundation)
Abutre-preto (Foto: Bruno Berthemy/ Vulture Conservation Foundation)

Vai ser implementado em Portugal e Espanha um novo projeto para ajudar a consolidar e acelerar o regresso do abutre-preto. Esta é uma espécie que voltou ao nosso país em 2010, depois de quase 40 anos de ausência, mas cuja população atual permanece muito pequena e frágil.

Liderado pela Vulture Conservation Foundation (VCF) e destinado ao regresso do abutre-preto a Portugal e ao território mais ocidental de Espanha, o projeto Life Aegypius Return contempla medidas como reduzir a perturbação das colónias, protegê-las de fogos florestais e minimizar as ameaças de envenenamento.

Conservação do abutre-preto - AWAY
Conservação do abutre-preto

Com um orçamento de 3,7 milhões de euros, a iniciativa visa também melhorar as condições do habitat de nidificação e de alimentação daquela ave, assim como capacitar agências e autoridades nacionais para a mitigação de ameaças e para a conservação da espécie.

A equipa que faz parte do projeto implementará ações de conservação dirigidas em dez locais da Rede Natura 2000, ao longo de quase toda a fronteira, entre Portugal e Espanha, que vai de Miranda do Douro ao Vale do Guadiana.

Conservação do abutre-preto - AWAY
Conservação do abutre-preto

O projeto tem como meta elevar a população nidificante de abutre-preto em Portugal para um mínimo de 80 casais (o dobro dos atuais) distribuídos por cinco colónias. Desta forma seria possível diminuir o estatuto nacional de ameaça da espécie de ‘Criticamente em Perigo’ para ‘Em Perigo’.

A criação e implementação da iniciativa conta com um total de nove parceiros e com o envolvimento de um elevado número partes interessadas, tais como autoridades nacionais, entidades ligadas à área veterinária, agricultores e caçadores.

A Associação de Transumância e Natureza/ Reserva da Faia Brava, em particular, é uma das entidades parceiras deste projeto. Vai apostar na construção de plataformas-ninho e na gestão florestal para prevenção de incêndios, o qual considera ser um fator decisivo para o sucesso do projeto.

(Fotos: Bruno Berthemy/ Vulture Conservation Foundation)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Aquecimento global pode afetar 3,6 mil milhões de pessoas
O futuro da mobilidade elétrica pode ser um bilugar bem radical
7 dicas para combater a humidade e bolor em casa