Sustentabilidade

A próxima digressão dos Coldplay terá uma pegada de carbono neutra

A banda britânica incluiu um plano de sustentabilidade na sua próxima digressão que até inclui compensação de emissões através de um sistema de captação de carbono
Digressão dos Colplay com pegada de carbono neutra
Digressão dos Colplay com pegada de carbono neutra
PUB

Depois de falarmos nos mais variados tipos de transportes e nas suas emissões, há ainda outros tipos de poluição que não costumam ser tão comentados. Um deles é, por exemplo, uma digressão de uma banda como os Coldplay, com diversos concertos em múltiplas zonas do globo e que não só incluem um elevado número de pessoas em trânsito, como uma quantidade impensável de equipamento.

Pensando em tudo isto, a banda desenvolveu um plano de sustentabilidade muito detalhado para a digressão do seu novo álbum “Music Of The Spheres”, com o qual espera conseguir uma redução das emissões de carbono em cerca de 50 por cento, quando comparados com os valores da sua última digressão.

PUB

Entre as várias soluções que vão estar presentes nos concertos da banda britânica, destaque para o sistema da empresa suíça Climeworks, que consegue captar o dióxido de carbono que anda pelo ar, armazenando-o em segurança ou em embalagens para uma utilização posterior em produtos como bebidas gaseificadas, por exemplo. Além deste sistema, a lista detalhada do plano dos Coldplay também inclui diversas ações de reflorestação, reconstrução e recuperação de solos e prados, com o objetivo de compensar as emissões geradas em cada concerto.

PUB
PUB

Toda a decoração dos concertos será adaptada em função destas decisões, cumprindo a lista criada e será dada prioridade à utilização de materiais locais com o objetivo de minimizar as emissões nas deslocações de carga. Além disso, os palcos serão construídos a partir de materiais reutilizáveis e com baixo teor de carbono, tais como o bambu e o aço reciclado.

Mas a lista não acaba por aqui. Durantes os concertos, a banda pretende utilizar apenas energias renováveis captadas, essencialmente, através de painéis solares, para tudo aquilo que precisa de eletricidade durante um concerto. E que não é pouco. Além disso, está prevista a instalação de um piso de estádio cinético, capaz de gerar energia quando é pisado e até bicicletas estáticas geradoras de energia elétrica, para que sejam os próprios fãs a contribuir para conseguir mais energia para o espetáculo. Toda a energia captada será armazenada num sistema desenvolvido pela BMW, que utilizada baterias previamente usadas nos seus BMW i3.

aqui a parceria dos Coldplay com a BMW
PUB

Os Coldplay têm ainda previsto um custo extra nas suas viagens, nas quais vão evitar os voos charter e pagar uma sobretaxa para a utilização ou fornecimento de Combustível de Aviação Sustentável. E os fãs também terão direito a diversos descontos através de uma aplicação específica, caso optem por transportes com baixos níveis de carbono nas suas deslocações para os concertos. Nem sequer falta um esquema de pirotecnia sustentável ou mesmo a utilização de confettis biodegradáveis.

Sobre esta digressão, os Coldplay referiram: “Passámos os últimos dois anos a consultar peritos ambientais para tornar esta digressão tão sustentável quanto possível, e, igualmente importante, para aproveitar o potencial da digressão para fazer avançar as coisas".

A digressão mundial “Music Of The Spheres” começa em março do próximo ano na Costa Rica, segue para a República Dominicana, México, Estados Unidos e depois passa para a Europa, na Alemanha, Polónia, França, Bélgica e Reino Unido.

(Fotos: Coldplay/Captura, ClimeWorks, Aditya Chinchure, Pablo Heimplatz /Unsplash)

PUB
Continuar a ler
Home
Cidades
Novas cidades no mundo fazem disparar investimentos
Mobilidade
Veículo elétrico: Stress ou anti-stress?
Evasão
Sugestão de viagem: os 10 castelos mais visitados