Sustentabilidade

Economia circular na mobilidade em destaque na fábrica da Renault em Flins

Projeto Refactory foi pensado para estender a vida útil dos automóveis e impulsionar a economia circular na mobilidade

Em 2020, a Renault apresentou o Refactory, um projeto da marca focado na economia circular na mobilidade. Um ano depois, fomos conhecer a recém transformada fabrica de Flins que, desde setembro de 2021, está focada em recondicionar carros usados, sendo a primeira na Europa dedicada à economia circular no setor da mobilidade.

O objetivo da marca com a transformação da fábrica francesa é dar resposta à crescente procura por carros em segunda mão. Ao utilizarem o know-how da Renault, conseguem voltar a introduzir no mercado veículos já usados, mas totalmente operacionais, estendendo assim a sua vida útil.

O processo de recondicionamento começa nos stands. Estes, ao receberem os automóveis, fazem a triagem a partir de critérios cedidos pela Renault. Normalmente os carros não têm mais de cinco anos e podem ser de qualquer marca. Os veículos escolhidos são enviados para Flins, onde são inspecionados para se identificar os pontos que precisam de atenção.

Todo o processo está digitalizado, por isso toda a informação deve ser colocada num sistema interno para que os funcionários tenham acesso a ela. Desta forma, rapidamente se consegue ver em que ponto está o automóvel, tornando o processo mais eficiente.

A fábrica de recondicionamento está dividida em quatro linhas de produção e o veículo passa de um ponto para outro sem nunca voltar para trás. A primeira estação trata da parte mecânica, a segunda da carroçaria, a terceira da pintura e a quarta da limpeza.

Recondicionado e pronto para voltar ao mercado, o veículo passa por um scanner 3D que permite recolher as imagens e pôr o automóvel à venda. Todo o processo, desde o momento em que o veículo é enviado dos stands até ser posto à venda online, dura dez dias.

Até final de novembro, já foram recondicionados 1500 carros. No entanto, espera-se conseguir alcançar os 180 veículos por dia até ao final do ano. 

Neste momento, são apenas os stands de Paris que enviam os automóveis usados para Flins, mas espera-se que no próximo ano stands de outras zonas possam também colaborar com a fábrica.

O projeto Refatory engloba mais três atividades para além da fábrica de recondicionamento de Flins. Tem o Re-Energy, um programa de segunda vida para baterias, o Re-Cycle, que tem como objetivo reutilizar e reciclar peças e o Re-Start, um centro de inovação e treino.

(Fotos: divulgação)

Continuar a ler
Home
Elétrico, radical e inovador, conhece este fantástico triciclo
Preço de gasóleo e gasolina volta a descer amanhã
E-bike analisa o nível de poluição no ar enquanto pedalas