Sustentabilidade

Relógio do Apocalipse está a 90 segundos da catástrofe mundial

Cientistas colocaram os ponteiros do Relógio do Apocalipse a 90 segundos da meia-noite, ou seja, à beira do fim
Texto
Relógio do Apocalipse a 90 segundos da meia noite (foto: Patrick Semansky/AP)
Relógio do Apocalipse a 90 segundos da meia noite (foto: Patrick Semansky/AP)

Os ponteiros do Relógio do Apocalipse moveram-se e estão agora a apenas 90 segundos da meia-noite, ou seja, da catástrofe. Isto é o mais próximo que alguma vez estiveram, e esta mudança é motivada por vários fatores, entre eles a crise climática que está constantemente a piorar, a guerra na Ucrânia e o risco de uso de armas nucleares.

O Relógio do Apocalipse é um dispositivo reflete a realidade, analisando a possibilidade de haver uma catástrofe mundial. É um projeto do Boletim dos Cientistas Atómicos criado em 1945 por Albert Einstein, J. Robert Oppenheimer, Eugene Rabinowitch e cientistas da Universidade de Chicago.

Relógio do Apocalipse - AWAY
Relógio do Apocalipse está cada vez mais próximo da meia-noite (foto: Carolyn Kaster/AP)

Foi em 2020 que os ponteiros se aproximaram da meia-noite pela última vez, tendo ficado nos últimos três anos a 100 segundos das 00h. Com os acontecimentos que têm marcado a atualidade nos últimos meses, avançaram 10 segundos.

A escalada das tensões entre a Rússia e o Ocidente e as ameaças de se começarem a usar armas nucleares estão a preocupar os cientistas do Boletim, mas estes não são os únicos fatores que levaram à decisão.

Relógio do Apocalipse - AWAY
Em 2019, o Relógio do Apocalipse esteve a 2 minutos (foto: Cliff Owen/AP)

A guerra na Ucrânia e consequente crise energética fez com que muitos países travassem os seus esforços para travar as alterações climáticas. E se em 2021 os níveis de emissões associados à queima de combustíveis fósseis desceram, em 2022 voltaram a aumentar e a atingir um novo recorde.

Aliado a isso, os climas extremos, com grandes períodos de seca e grandes cheias, e as ameaças biológicas, como novas pandemias, aproximam o planeta do apocalipse.

Quem toma a decisão de aproximar (ou afastar) os ponteiros da meia-noite são os especialistas que fazem parte do Conselho de Ciência e Segurança do Boletim que contam com o apoio do Conselho de Patrocinadores do Boletim, do qual fazem parte dez prémios Nobel.

Relógio do Apocalipse - AWAY
Relógio do Apocalipse esteve a 14 minutos em 1995 (foto: Beth A. Keiser/AP)

Em comunicado, Mary Robinson, Presidente da The Elders, um grupo criado por Nelson Mandela em 2007, e ex-Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, salientou que o relógio está a “fazer soar os alarmes para toda a humanidade. Estamos à beira do precipício”, salientando ainda que os líderes mundiais não estão a agir “a uma velocidade e escala suficiente para garantir paz e um planeta habitável”.

O Relógio do Apocalipse foi criado em 1947 com os ponteiros a sete minutos da meia-noite, tendo avançado para três minutos em 1947, quando a União Soviética testou a primeira bomba atómica. Foi em 1991, que os ponteiros estiveram mais longe da catástrofe, quando marcavam 17 minutos para as 00h.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Plano da União Europeia vai ajudar a salvar as abelhas
Base logística do Intermarché já tem painéis solares fotovoltaicos
Antártida tem um novo iceberg 15 vezes maior do que Lisboa