Sustentabilidade

Como é que se consegue acelerar o processo de reflorestação? Com drones

A AirSeed é uma empresa australiana que criou uma solução tecnológica para plantar árvores e arbustos de forma eficiente

Numa altura em que tanto se fala sobre o aquecimento global e a necessidade de desenvolver estratégias que ajudem a mitigar o problema das alterações climáticas, a reflorestação surge como uma das várias medidas que podem fazer toda a diferença. Plantar árvores é essencial e há uma empresa que criou uma solução que torna todo o processo mais rápido. O segredo? Drones.

Falamos da AirSeed Technologies, uma empresa australiana que surgiu em 2019, criada pelo engenheiro mecânico Andrew Walker e pelo analista de dados de mapeamento e drones Andries Louw. A missão desta companhia é ajudar a restaurar a perda de biodiversidade nas terras.

Para tornar a missão uma realidade, foram desenvolvidos dois produtos que se complementam entre si: os drones especializados na plantação de árvores, com um sistema de machine learning, e a biotecnologia Seed Pod – sementes revestidas por uma cápsula - que permite replantar grandes áreas rapidamente.

A tecnologia criada é mais do que uma mera ideia ou um protótipo. Neste momento, os drones da AirSeed já estão a ser utilizados em vários projetos na Austrália e também em África. Um desses projetos é a criação de um corredor para vida selvagem que une dois parques nacionais.

Para garantir um bom trabalho de reflorestação, é sempre feita uma análise ecológico da área que receberá as novas sementes, de forma a perceber quais as espécies que devem ser plantadas. Depois, começa o trabalho e vão para o solo sementes de árvores, de arbustos e de variadas gramíneas.

Os drones conseguem marcar a localização de cada Seed Pod e chegam a plantar até 40 mil sementes por dia. Outra das grandes vantagens é que estes pequenos robots conseguem chegar a zonas de difícil acesso ou mesmo inacessíveis, conseguindo assim reflorestar áreas que de outra forma poderia não ser possível.

Como explica à AWAY Andrew Walker, um dos cofundadores da empresa, esta solução é “aproximadamente 25 vezes mais rápida e tem um custo-benefício 80 vezes superior ao do método de plantação manual”.

A AirSeed pretende aumentar a sua capacidade de forma a conseguir plantar 100 milhões de árvores por ano em 2024.

Mas desengana-te se achas que o trabalho da AirSeed é simplesmente chegar, plantar e ir embora. Se o objetivo é garantir a reflorestação, então é essencial ter a certeza de que houve sucesso na plantação. “Temos uma abordagem ativa na monotorização dos nossos projetos e visitamos os locais com regularidade para garantir que o sucesso é realmente alcançado”, explica o engenheiro mecânico.

No presente, o foco é a Austrália. Afinal, o país é conhecido pelo seu clima e eventos climáticos extremos, como o calor intenso ou longos períodos de seca, sendo que a intensidades destes eventos está diretamente ligada às mudanças climáticas. A juntar a isso, a Austrália tem também um ecossistema único que, se não for cuidado, poderá desaparecer.

Ao trabalharmos para restaurar a biodiversidade perdida numa variedade de condições desafiadores nos solos australianos, a AirSeed consegue demonstrar a capacidade dos seus drones e da sua biotecnologia, e aplicar esta aprendizagem de forma a dar resposta às necessidades básicas mundiais”, explica Andrew Walker.

A longo prazo, o objetivo ultrapassa as fronteiras da Austrália e de África. Com a ajuda da equipa de investigadores que torna a AirSeed uma possibilidade, a empresa australiana espera crescer para um negócio mundial que tem um impacto positivo a nível ambiental nos quatro cantos do mundo.

(Fotos e vídeos: cortesia de AirSeed Technologies)

Continuar a ler
Home
Conferência dos Oceanos 2022 em Lisboa até 1 de julho
Subida de água no planeta. Vê aqui este projeto de sensibilização em Copenhaga
Estão a aparecer microplásticos em gelo na Antártida